Carta para Steve Jobs: chega de iPhone, né?

Olá, Steve!

Publicidade

Steve Jobs na WWDC '08Como vai? Espero que tenha melhorado da gripe que teve durante a WWDC ’08. Não gostei nada de te ver magro como estava, ainda mais na primeira keynote que compareci em minha vida. Ainda assim, a sua apresentação e dos seus companheiros — em especial, Scott Forstall e Phil Schiller — foram impecáveis, como sempre. Parabéns!

Veja bem: eu adoro o iPhone. Já perdi a conta de em quantos tive a oportunidade de mexer (até desbloqueei alguns, sorry!) e nem eu acredito que, até hoje, não tenha um. Pelo menos mostra que eu sou certinho; estou só esperando ele chegar por aqui para, finalmente, meter a mão no bolso. Vendo pelo lado bom, consegui agüentar a ansiedade e já começarei a brincar nesta nova versão 2.0, bem mais completa e interessante que há pouco mais de um ano.

O problema, Mr. Jobs, é que o assunto já deu o que tinha que dar. Não, eu não acho que a Apple não tenha que se focar ao máximo nesta nova plataforma — não deve ser fácil —, mas eu pela primeira vez começo a achar que tirar o “Computer” do nome da sua empresa não foi lá tão legal. Afinal, eu fico boa parte do meu dia na frente do meu MacBook Pro, e não olhando prum iPhone. Eu faço meu dinheiro usando meu MacBook Pro; o iPhone eu só usarei para realizar alguns contatos aqui e ali, se bem que hoje em dia quase tudo se resolve por email.

Não sei se você sabe, mas eu tenho um site sobre Apple no Brasil, acho até que é um dos maiores e mais conhecidos na língua portuguesa. Temos diversos leitores em Portugal, Moçambique, Angola… sem falar nos brasileiros espalhados pelo Japão, Estados Unidos, Canadá, Austrália — cê sabe que brasileiro é uma praga! Chama-se MacMagazine. Tenho muito prazer em fazer o que faço, inclusive recentemente passei a me dedicar exclusivamente a ele. Não tenho problema algum em escrever diariamente sobre o iPhone, mas não é à toa que muitos dos meus leitores já estão bastante saturados com tanta informação sobre essa revolução pela qual vocês estão passando.

Publicidade

Você já parou para dar uma olhada na página inicial do seu site, hoje?

Apple.com hoje

Publicidade

Observe bem: o destaque grande fala sobre o iPhone 3G. Os quatro menores falam sobre o Guided Tour do iPhone 3G, a iPhone App Store, o MobileMe (“…novo serviço para o seu iPhone…”) e o vídeo publicitário do iPhone 3G. 100%, Steve?! Tudinho?! Num tem mais nada pra destacar na capa? Pois é, Apple hoje é só iPhone.

Isso justifica completamente a quantidade de artigos que eu e a equipe do MacMagazine temos escrito sobre ele, o que já gerou até sugestões de lançarmos um iPhoneMagazine, hehe. Mas não é o caso. Felizmente, como falei, eu adoro isso tudo e vejo um grande potencial no iPhone. Não tenho dúvidas de que ele se tornará um negócio, para a Apple, tão grande (ou até maior) do que os próprios Macs. Mas os Macs, Steve… os Macs! Vamos lembrar um pouquinho deles?

Publicidade

Antes de mais nada, permita-me agradecer ao leitor e participante do FÓRUM.MACMAGAZINE, alexfero, por ter criado este tópico e ter me incentivado a escrever esta carta para você. Ele está redondamente certo no que escreveu: o último grande lançamento da Apple no mundo Mac foi o MacBook Air. Achei fantástico, é incrível como você conseguiu, mais uma vez, inserir um produto num mercado já existente e, rapidamente, torná-lo referência de comparações com todo o resto.

Que tal pensarmos e começarmos a nos focar no resto das linhas?

MacBooks: foram rapidamente atualizados, pela última vez, em fevereiro deste ano. Nós estamos bastante ansiosos, aguardando a tão falada renovação visual nas máquinas que, pelo amor de Deus, acabe de uma vez por todas com o problema das rachaduras. Não queremos outro Power Mac G4 Cube, não é?

MacBooks Pro: também ganharam um pequeno update em fevereiro, algo que eu aguardava há bastante tempo mas que, de tão insignificante, me forçou a ficar com o meu MacBook Pro 17″ atual (que possuo desde dezembro de 2006) até a próxima geração. Mais do que os MacBooks, eles precisam de uma reformulação visual, urgente! Gostaria muito, também, de HDs maiores, padronização dos displays HD para os modelos de 17″ e, por que não?, um modelo quad-core como opcional topo-de-linha.

Apple TV + Mac mini: quando que cê vai fundir esses dois, hein? O Apple TV chegou ao mercado em março de 2007 e, desde então, só ganhou atualizações via software. O Mac mini não é atualizado desde agosto do ano passado, quase um ano! Tá mais do que na hora de fundir esses dois produtos num novo Mac nano, com melhores processadores, HD com no mínimo 250GB de capacidade (preferencialmente 300 ou 320GB) e SuperDrive como padrão em toda a linha.

Cinema Displays: agosto de 2006, lembra? Foi quando os monitores da Apple foram atualizados pela última vez. Eles necessitam urgentemente de uma atualização tecnológica e de iSights embutidas — você nem mais vende iSights separadas! Continuo achando que um modelo de 17″, baratinho, seria ótimo para uma popularização ainda maior dos Macs. Cairia muito bem com o novo Mac nano, para os que estiverem chegando da plataforma Windows.

iPods: eu não vou nem falar do iPod touch, que é quase um iPhone e continua sendo bastante falado — principalmente agora, com a queda de preços dos iPhones. Tirando os iPods shuffle, que ganharam uma versão de 2GB no começo deste ano, os outros estão todos abandonados. Eu já penso seriamente em substituir o meu video de 80GB, mas o classic continua estagnado em 160GB desde setembro de 2007. Cadê o modelo de 200GB? Na verdade, pra mim o ideal seria um iPod touch com HD, uma mescla desses dois. Que tal?

Mac tablet: todos aguardam ansiosamente o dia em que a Apple entrará de vez no mercado de tablets, com uma solução revolucionária e que se encaixe entre o iPhone e os MacBooks, provavelmente com uma tela não maior do que 8 ou 10″. Seria a entrada da Maçã no mercado dos chamados sub-notebooks, com um computador completamente diferente do que já existe por aí. Afinal, você falou tanto da vantagem do iPhone utilizar um teclado virtual e economizar espaço físico quando ele não é necessário; isso também pode se aplicar a um Mac, não acha?

Bom, é mais ou menos isso. Entendo perfeitamente que ainda ouviremos falar muito do iPhone, afinal, o 3G ainda está saindo do forno e só foi lançado em 21 países — ainda precisamos chegar em 70 (incluindo nós aqui embaixo, no Brasil!) e isso dará pano pra manga por muitos meses. Mas agosto e setembro vêm aí e, com isso, esperamos também algumas novidades diferentes na home do Apple.com.

Não se preocupe, eu não diminuirei o ritmo de artigos sobre o iPhone no MacMagazine, mas precisava fazer esse desabafo, afinal, a Apple é muito mais do que isso. Estamos, todos, bastante ansiosos por outros grandes anúncios. Continuem com o excelente trabalho que realizam, porque esta é a década da Apple.

Apple é Pop! 😉

Um abraço,
-Rafael Fischmann.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…