O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

O que Steve Jobs lançou em suas keynotes da Macworld Expo? (Parte 2)

Apresentação do iPhone na Macworld Expo 2007

A partir de 2010, o foco de lançamentos da Apple deixará de ser as tradicionais keynotes de abertura da Macworld Expo, passando a ocorrerem apenas eventos isolados feitos por ela em seu campus em Cupertino ou no próprio Moscone West, seja na WWDC ou em momentos especiais destinados à imprensa. Isso deixa uma incerteza sobre como ela os abordará daqui em diante, já que vários dos seus grandes lançamentos vieram nas diversas edições do evento, desde 1997.

Publicidade
Apresentação do iPhone na Macworld Expo 2007
Apresentação do iPhone na Macworld Expo 2007

Nesta segunda parte da nossa série de artigos sobre os lançamentos da Apple nas suas keynotes da Macworld Expo, falarei sobre o que Jobs e a sua equipe apresentaram entre 2001 e 2004, nas cidades de San Francisco e Nova York (até 2002). Nesses quatro anos, o foco das apresentações deixou de ser apenas os lançamentos de novos Macs, voltando-se também ao conceito de “estilo de vida digital”, com a introdução de aplicativos que permitiam ao usuário fazer muito mais com suas músicas, filmes e fotos no computador.

2001: A revolução da música digital (e umas coisas a mais…)

Publicidade

A expressão “estilo de vida digital” envolve vários aspectos atualmente, já que as suas fotos, vídeos e músicas já não devem estar mais tão presentes em álbuns impressos ou em CDs e DVDs. Voltando para o Mac nessa época, apenas existiam aplicativos domésticos para lidar com filmes no computador: o iMovie surgiu em conjunto com o Mac OS 8, e o iDVD veio pouco tempo depois — eles são os mais antigos da suíte iLife.

O que a Apple preparou para 2001 foi a sua entrada (tardia, é bom dizer aqui) na revolução musical que estava acontecendo na época, consistindo basicamente em novas formas como as pessoas organizariam suas músicas em formatos digitais, através do computador. O primeiro passo da Apple nessa revolução foi a introdução do iTunes, em San Francisco, que abriu espaço para o lançamento do primeiro iPod, nove meses depois.

A primeira versão do iTunes, como vocês verão nos dois vídeos abaixo, ainda rodava no Mac OS 9:

Publicidade
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=IF_c5KSK0-A[/youtube] [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=qL6QfvFu8fM[/youtube]

Na mesma keynote, foi apresentado o primeiro PowerBook G4 Titanium, com um novo design que o tornou mais fino e leve que o anterior. Além disso, era o primeiro a suportar conectividade sem fio como um opcional. Neste mesmo ano, o iBook também ganhou um novo design semelhante ao do PowerBook G4, porém com carcaça de plástico branca.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=SMrc__wt7KA[/youtube]

Em Nova York, dois assuntos abordados merecem destaque. O primeiro é um vídeo de apresentação da primeira Apple Retail Store aberta nos Estados Unidos (e no mundo), feito pelo próprio CEO da Apple dias antes da sua abertura, em 15 de maio daquele ano:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=cD-Fu3OdwP4[/youtube]

O segundo foi a introdução de um novo Power Mac G4, já que o Cube não deu muito certo, como falei semana passada. O “Quicksilver”, como ficou conhecido, era totalmente destinado ao mercado profissional, como mostra o vídeo abaixo, produzido pela Apple:

Publicidade
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=UzTZkX4-BT4[/youtube]

Os avanços que a equipe de engenharia da Apple obteve em conjunto com a IBM com o processador G4 também renderam uma apresentação técnica sobre o chamado Megahertz Myth (Mito dos Megahertz), que explicava como um processador PowerPC era quase duas vezes mais rápido que o melhor Pentium da época, mesmo tendo apenas metade da frequência deste:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=PKF9GOE2q38[/youtube]

2002: iPhoto e o novo iMac G4

Para complementar a suíte de aplicativos domésticos para o estilo de vida digital, a Apple mais uma vez apresentou novas versões do iMovie, do iDVD e do iTunes. Além disso, lançou o iPhoto, um novo aplicativo que usava as tecnologias gráficas do Mac OS X para facilitar o reconhecimento de câmeras digitais modernas e a importação e edição de fotos em diversos formatos, de forma fácil e intuitiva para usuários domésticos.

Junto com ele, Steve Jobs apresentou um iMac reinventado, com processador G4, conectividade sem fio e poder gráfico para acelerar esses novos aplicativos. O seu novo design foi o que mais chamou a atenção de todos:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=06ws6M2-S3w[/youtube]

E, para complementar, a Apple fez um vídeo especial, com relatos de profissionais da área de multimídia sobre o novo iMac G4 e os novos aplicativos para organização da vida digital dos novos usuários, com foco especial no iPhoto:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=5_LHAredv6U[/youtube]

Nesse mesmo ano, a Apple abandonou a Macworld Expo realizada no meio do ano na cidade de Nova York, devido à sua transferência para Boston.

2003: PowerBook G4 Aluminum, Keynote, iLife e Safari

Steve Jobs, ao apresentar os resultados das vendas de Macs nesta keynote, destacou o primeiro PowerBook G4, introduzido em 2001. Em conjunto com o iBook, foi responsável por 38% das vendas de Macs no ano fiscal que se passou. Esses bons números sempre fizeram a Apple acreditar que as vendas de notebooks superariam as de desktops um dia, sendo que a única forma de alcançar essa façanha era oferecer portáteis realmente poderosos e atrativos aos consumidores.

E aquele primeiro PowerBook G4 de 2001, que nunca foi considerado pior que nenhum outro portátil da época, foi novamente reinventado em 2003 a partir do alumínio e tornou-se o primeiro a trazer teclado retroiluminado, FireWire 800, o novo padrão Wi-Fi 802.11g — junto da nova AirPort Extreme integrada — e uma tela de 17 polegadas idêntica à do iMac G4.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=3iGTDE9XqJU[/youtube]

Além dele, também foi lançado um segundo modelo de baixo custo, com tela de 12 polegadas:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=HKj93j5VMQ8[/youtube]

Logo em seguida, Steve Jobs apresentou o iLife, que era simplesmente composto de versões atualizadas de todos os aplicativos lançados pela Apple anteriormente mirando a vida digital dos usuários — iPhoto, iMovie, iDVD e iTunes –, mas comportando-se integrados em uma suíte, o que tornou muito mais fácil a criação neles.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=iNR2LjAPWBw[/youtube] [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=li6BFCDuNj0[/youtube] [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=mL0Xh2Hjlvk[/youtube]

Como se não fosse o bastante, Jobs apresentou o Keynote, aplicativo de produtividade destinado à criação de apresentações gráficas. Desenvolvido para o uso exclusivo do CEO da Apple em suas apresentações, ele foi o primeiro a integrar produtividade com senso de estilo, este último resultado das tecnologias gráficas presentes no Mac OS X e da integração com a suíte iLife.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=ZZqYn77dT3s[/youtube] [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=BqGXnOIv62s[/youtube]

Por fim, o One More Thing desta keynote foi a introdução do Safari, um novo navegador para o Mac OS X e o mais rápido da época. Ele foi adotado rapidamente pelos usuários por ser eficiente e fácil de usar, e não demorou para a Microsoft anunciar o fim do Internet Explorer para Mac.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=T_ZNXQujgXw[/youtube]

2004: iPod mini e GarageBand

Nesta keynote, foi lançado um novo membro para família de iPods: o iPod mini, o primeiro que competia no mercado de MP3 players com memória flash, já que o iPod dominava quase todo o segmento de PMPs com disco rígido. O mini era um pouco mais caro que os trocentos modelos que já existiam na época, mas isso não impediu que se tornasse um sucesso, pois oferecia muito mais recursos que todos os concorrentes da época.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=3dxwopXL3fs[/youtube]

Para o lançamento do novo iLife ’04, a Apple preparou um novo aplicativo, que permitia a um usuário doméstico criar músicas facilmente em seu Mac. A primeira versão do GarageBand trazia uma série de recursos que não apenas davam a amadores capacidade para criar músicas de forma intuitiva, mas também facilitava o processo de composição dos músicos mais experientes. E, para demonstrá-lo ao público, Jobs trouxe John Mayer ao palco do Moscone Center:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=BVXWFgQvdLk[/youtube] [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=9MRDDJjTwTw[/youtube] [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=UT-rLy0CWc4[/youtube]

Bom, por hoje é só. Espero que vocês tenham gostado e no próximo sábado publicaremos o último artigo desta série, com o histórico dos lançamentos da Apple nas edições da Macworld Expo de 2005 até 2008. Caso você tenha perdido o primeiro artigo, clique aqui.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

NVIDIA achou a solução para os problemas de GPUs defeituosas: basta comprar novas!

Próximo Artigo

E não é que existe mesmo o iPhone 3G de US$99?

Posts Relacionados