O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple autoriza entrada de navegadores web de terceiros na App Store

A partir de segunda-feira, a Apple começou a aprovar navegadores web de terceiros para entrada na App Store. Um deles apareceu na loja com a data de lançamento igual àquela em que foi enviado para aprovação (outubro de 2008), sendo que eles já estão em diversas categorias por lá. Muitos atribuem como causa para a demora o fato de duplicarem um recurso já existente no aparelho — pelo menos, foi o que justificou a saída do Podcaster —, mas os aplicativos abaixo não infringem nenhuma regra do SDK do iPhone.

Publicidade
Edge Browser Incognito Web Mate Shaking Web

No entanto, acredito que ninguém havia tentado enviar um navegador web para aprovação na App Store. Tivemos o rumor do Opera Mini, mas ele nunca seria aprovado, por conter código-base escrito em Java. Independente de qual seja o real motivo, é a segunda vez que a Apple decide fazer algo que contraria a sua política de aprovação. A primeira foi a admissão de aplicativos com baixo grau de utilidade após eles terem sido rejeitados — Pull My FingeriFart Mobile.

Abaixo, você confere a lista dos aplicativos de terceiros disponíveis atualmente para navegação na internet — compatíveis com iPhones ou iPods touch:

Publicidade
  • Edge Browser (gratuito): permite navegar na internet pelo iPhone com as barras de endereço e navegação ocultas.
  • Incognito (US$2): navegador exclusivo para navegação privada. Não deixa nenhum histórico, cookies, senhas ou dados de formulário armazenados.
  • WebMate: Tabbed Browser (US$1): é capaz de enfileirar todos os links que você clicar em uma página na ordem que quiser, facilitando a leitura de artigos em blogs.
  • Shaking Web (US$2): usando algoritmos sofisticados, permite compensar os movimentos involuntários que você faz enquanto está visualizando um site num local pouco confortável (ônibus, por exemplo, pois balança muito), facilitando a leitura.

Não há como afirmar se empresas mais populares nesse meio — como Mozilla ou Opera — lançarão soluções que cumpram essa tarefa na App Store. Para isso acontecer, ou elas terão que abrir concessões na construção deles ou a Apple terá que abrir mais uma exceção no seu processo de aprovação — assim como ela já fez com o Google. Até o momento, os quatro aplicativos listados acima usam WebKit — a mesma engine de renderização de páginas que está por trás do Mobile Safari.

[Via: MacRumors.]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Submarino anuncia Time Capsule por um preço e vende por outro

Próximo Artigo

Psystar contra-ataca: "comprei o Mac OS X legalmente"

Posts Relacionados