Crackulous surge como o Jack Sparrow da iPhone App Store

CrackulousEu soube da chegada do Crackulous ainda no final do domingo, quando o TorrentFreak publicou a notícia em primeira mão. Imediatamente pensei que a coisa não teria sentido algum e deixei o tema separadinho para acompanhar a repercussão na blogosfera e na mídia internacional como um todo, antes de resolver meter meu bedelho sobre a novidade.

Publicidade

Antes de mais nada, permitam-me apresentá-los: o Crackulous é um software — para iPhones e iPods touch jailbroken, disponível no Cydia — que visa piratear (a maioria dos) aplicativos da App Store, quebrando seu DRM e permitindo que sejam distribuídos livremente por aí. De cara, um novo joguinho de gato e rato começou, afinal basta um pequeno update de firmware para que a Apple quebre totalmente o seu funcionamento.

Mas a história ficou hilária por si só: quando postou um artigo sobre o assunto, o Gizmodo acabou linkando para o site de um cara que resolveu ganhar um dinheirinho em cima do Crackulous, sem ter tido qualquer envolvimento com o (digníssimo) “projeto”. Er, sim: piratearam o pirata! 😛 E, é claro, seu desenvolvedor ficou pê da vida, exigindo que os links fossem alterados para o site original, visto que aquilo tudo era injusto. Cumequié, meu senhor? Você acha mesmo que merece algum tipo de reconhecimento pelo *belíssimo* trabalho com o seu cracker?! “Ladrão que rouba ladrão…”

Publicidade

Como sempre, a hipocrisia vai ao ponto de justificarem a existência do projeto devido a uma “falha” da iPhone App Store de não permitir que usuários experimentem apps e jogos antes de efetuar a compra. A ideia do Crackulous seria, portanto, a de proporcionar um “trial ilimitado” dos títulos para, caso valham a pena, serem então comprados pelos usuários, de maneira que o desenvolvedor original obtenha um retorno (justo) com sua criação.

Quantos realmente fariam isso? E se isso é algo que falta na App Store — e eu concordo —, rapidamente encontrou-se uma solução para o problema, que foi a de disponibilizar versões Lite gratuitas de softwares e games dos mais diversos — muito bem recebida pelos consumidores da loja, diga-se de passagem. Não vou nem falar que, se alguém não gosta do modelo ou das limitações impostas pelo ecossistema, por que diabos insiste em querer usá-lo? A Apple obriga alguém a fazer alguma coisa aqui?

Eu faço questão de não linkar diretamente para o site do Crackulous e nem dizer em que repositório ele pode ser encontrado. Por favor, respeitem a nossa ideologia e não compartilhem links piratas nos comentários deste artigo, caso contrário eles serão removidos por nós.

Posts relacionados

Comentários