O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

WebKit agora traz suporte a animações em CSS

Ficamos um bom tempo sem saber de novidades do time de desenvolvimento do WebKit, que trabalha bastante no motor de renderização de páginas do Safari — também usado no Google Chrome. Entretanto, isso não quer dizer que eles não ficaram sem trabalhar durante todo esse tempo: durante essa semana, anunciaram o suporte a animações em CSS, o que significa que qualquer navegador baseado na versão mais recente do WebKit será capaz de visualizá-las sem a necessidade de nenhum plugin.

Publicidade

Animações CSS no WebKit

Se você quiser, pode baixar a versão de testes mais recente do WebKit e visualizar alguns exemplos que vou descrever abaixo. Se você estiver inscrito na previsão de desenvolvedores do Google Chrome 2.0 e está deixando que ele instale atualizações automaticamente, também poderá conferir as demonstrações. E, caso você possua um iPhone ou iPod touch, saiba que essas animações já são suportadas no Mobile Safari a partir da versão 2.0 do iPhone OS.

Especificar animações dessa forma é bem fácil, caso você seja um desenvolvedor web. São utilizados vários parâmetros exclusivos do WebKit, começando pela regra @-webkit-keyframes, na qual você utiliza quadros-chave para especificar o estado inicial, o estado final e, caso preciso, pontos suplementares entre esses dois estados. Uma vez que essa parte do código esteja pronta, são aplicadas as suas propriedades de execução, que podem incluir tempo, nome, cores diferentes ou até um número máximo de execuções para que seja interrompida automaticamente.

Publicidade

Abaixo, está o código de um exemplo simples, feito pelo time do WebKit. Note que esse código deve ir entre as tags <head> e </head> da página, sempre entre <style type="text/css" media="screen"> e </style>:

[code lang=”css”]@-webkit-keyframes bounce {
from {
left: 0px;
}
to {
left: 200px;
}
}

Publicidade

div {
-webkit-animation-name: bounce;
-webkit-animation-duration: 4s;
-webkit-animation-iteration-count: 10;
-webkit-animation-direction: alternate;
width: 40%;
padding: 0.2em 1em;
position: relative;
left: 0px;
background: #aaaaff;
}[/code]

Você pode conferir um exemplo do código acima — caso esteja rodando o build mais recente do WebKit — nesta página.

O código a seguir foi usado para fazer uma caixa de texto assumir posições e cores diferentes. Note que os quadros-chave começam com valores percentuais, justificando em que parte do tempo total da animação acontecerá a interpolação de um para o próximo:

[code lang=”css”]@-webkit-keyframes pulse {
0% {
background-color: red;
opacity: 1.0;
-webkit-transform: scale(1.0) rotate(0deg);
}
33% {
background-color: blue;
opacity: 0.75;
-webkit-transform: scale(1.1) rotate(-5deg);
}
67% {
background-color: green;
opacity: 0.5;
-webkit-transform: scale(1.1) rotate(5deg);
}
100% {
background-color: red;
opacity: 1.0;
-webkit-transform: scale(1.0) rotate(0deg);
}
}

Publicidade

.pulsedbox {
-webkit-animation-name: pulse;
-webkit-animation-duration: 4s;
-webkit-animation-iteration-count: infinite;
-webkit-animation-timing-function: ease-in-out;
}

div {
background-color: red;
width: 40%;
padding: 0.2em 1em;
margin: 6em;
}[/code]

Essas interpolações podem alterar a sua cor, tamanho e inclinação, obtendo diversos efeitos legais para páginas sem a necessidade do Flash Player. Aqui está um exemplo do código acima em ação.

O suporte a animações em CSS (CSS Animations) é apenas uma das novidades internas propostas pelo time de desenvolvimento do WebKit, a fim de dar aos desenvolvedores web o poder de criar conteúdo rico em interatividade sem depender tanto de plugins externos, o que promete ser muito bom no Safari 4, que está em desenvolvimento e provavelmente será apresentado pela Apple como uma novidade do Mac OS X 10.6 Snow Leopard, durante a próxima WWDC.

Se quiser conhecer mais sobre essa novidade, saiba que já é possível encontrar mais exemplos de uso do que os apresentados neste artigo de exemplo, além de documentos complementares. Basta acompanhar a comunidade de desenvolvedores da Apple para a web e a documentação oficial do time de desenvolvimento do WebKit.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Se o seu iTunes começou a travar depois do update de firmware 2.2.1, saiba aqui como proceder

Próximo Artigo

Apple garante lugar na lista da Forbes de companhias de tecnologia que crescem mais rápido

Posts Relacionados