O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Como temperaturas altas podem ferrar o seu Mac

Colaboração especial por Caio Ferrari.

Publicidade

Apple Power Mac G5Neste último final de semana, recebi um Power Mac G5 para arrumar. A imponente torre, comprada em 2004, apresentava travamentos toda vez que era exigida — mas não era um simples kernel panic, era um travamento mesmo, sem direito a explicações. HD? Ok. Memória? Ok. Sistema reinstalado e o problema persistia.

Ao monitorar a temperatura do sistema, percebi que, quando os processadores ficavam perto do limite de temperatura (63ºC), a máquina travava. As ventoinhas estavam funcionando bem, tanto que a temperatura nem chegava no limite, apenas ficava elevada.

Abri a máquina e coloquei um ventilador soprando ar lá dentro: a temperatura ficava cerca de 8ºC mais baixa e problema foi aparentemente resolvido. Outra solução foi diminuir a velocidade do processador no painel Energy Saver das System Preferences. Ao pesquisar nos fóruns do Apple.com, percebi que o problema é comum e as soluções encontradas, na maior parte das vezes, foram troca de processador e placa mãe.

Pela descrição, quem mexe com eletrônica e conhece computadores já deve ter matado… Solda fria!

Publicidade

A solda fria é o nome dado à solda que já perdeu sua capacidade de conduzir bem energia. Ela tem aparência opaca e às vezes apresenta “trincos” na base. Um dos motivos para seu aparecimento é alta temperatura. Esse aquece/esfria estressa o metal devido à dilatação e à contração que ocorrem na mudança de temperatura (entenda o “estresse” como o esforço mecânico, como aquele de quebrar um arame flexionando-o repetidas vezes).

Esse problema era muito comum em monitores CRT (inclusive os Apple) e poderia ser resolvido apenas refazendo as soldas da placa — enquanto as assistências, por muitas vezes não terem técnicos em eletrônica, trocavam a placa, o que obviamente era mais caro.

Publicidade

Infelizmente o sistema de refrigeração do G5 privilegia o silêncio, graças à eterna frescura de Steve Jobs com ventoinhas e, além disso, ele não pode ser controlado via software, como nos Macs Intel. A solução da máquina seria fazer com que ela trabalhasse mais fria, dado que a troca dos componentes não compensa o preço, seja burlando o sistema de sensores de temperatura para que as ventoinhas trabalhem mais rápido, seja adicionando ventilação adicional ou, na pior das hipóteses, deixar a máquina em velocidade reduzida.

Sorte de quem tem um Mac Intel, em que o controle da velocidade dos fans pode ser feito via software — como o smcFanControl2. Talvez você diga que os engenheiros da Apple sabem o que fazem e que você não deve se preocupar com isso. Frase bonita, teoricamente correta e perfeitamente aplicável, caso morássemos num país onde um iMac custasse menos de oito salários mínimos e não tivéssemos problemas com assistências técnicas.

Publicidade

O fato é que semicondutores trabalham bem quando frios. Justamente por isso investe-se tanto em resfriamento com dissipadores, ventoinhas e, em máquinas de alta responsabilidade como servidores, normalmente ficam armazenados em salas com equipamentos de ar condicionado que não só serve para “equilibrar” o calor gerado pelas máquinas, como também para manter a sala fria o suficiente para você precisar de um agasalho para ficar lá.

Fiz alguns testes no meu iMac Intel Core 2 Duo, aumentando a velocidade das ventoinhas enquanto eu jogava. Deixei as ventoinhas de CPU e HD cerca de 1.000RPM mais rápidas do que ficam quando são gerenciadas pelo sistema. Nos dois casos, joguei durante o mesmo período, o mesmo game:

Comparação de temperaturas

Nas imagens é possível ver que a temperatura da placa de vídeo caiu em 20ºC! Enquanto isso, o processador ficou 13ºC mais frio e o HD, 7ºC mais frio. E isso tudo com as ventoinhas numa velocidade plenamente aceitável em termos de ruído, mesmo durante a noite.

Os benefícios trazidos à durabilidade dos componentes são, sem dúvida, altíssimos. Portanto, recomendo fortemente aos usuários que deixem suas máquinas preferencialmente em lugares bem ventilados, onde não haja a incidência direta de sol e que, caso forem fazer algo que exija muito da máquina (como jogar), considere a possibilidade de aumentar — ainda que de maneira sensível — a velocidade da ventilação para manter a temperatura baixa.

Precaução nunca é demais.

[Texto adaptado deste tópico do nosso FÓRUM.]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

brMail, do Joaquim Venancio, chega à iPhone App Store

Próximo Artigo

Web Expo Forum 2009 debaterá a “Revolução da Web 2.0”

Posts Relacionados