Eu Vou Passar, a iTunes Store do concurseiro

EuVouPassarNão é segredo que faço parte do “grupinho” de milhares milhões dezenas de milhões de brasileiros que procuram tornar-se servidores públicos mediante concurso. Nesta longa e tortuosa estrada na qual estou há um ano, uma colega de estudos me recomendou um site chamado Eu Vou Passar, no qual há materiais de estudo e vídeo-aulas sobre as mais diversas matérias comuns em certames Brasil afora.

Publicidade

“Ok, Halex, a dica é válida, mas o que diabos isso tem a ver com a pauta do MacMagazine? Tá doido?!”, você pode perguntar, coberto de razão por duvidar da minha sanidade (outra vez). Aí eu respondo: esse site pode ser uma prova cabal de que o modelo da iTunes Store pode dar certo, mesmo no Brasil.

O foco principal do site são as vídeo-aulas, apesar de haver materiais escritos e artigos disponíveis. Estas aulas, com duração de 15 minutos, podem ser compradas por R$1. Mais: elas podem ser vistas no site, como streaming, ou baixadas em FLV ou MP4, totalmente livres de DRM. Lembra alguém? Só que tem mais! Há ainda um serviço mensal de assinatura no qual tem-se acesso a todas as aulas, do passado e do futuro, que podem ser vistas ou baixadas — ou seja, por R$30, você poderia baixar todas as 100 aulas novas que vão ao ar num dado mês. Alunos com mais de cinco meses contínuos de assinatura podem, ainda, adquirir DVDs contendo inúmeras aulas por apenas R$5 (mais despesas de envio).

Publicidade

Logo vem à mente o quanto os organizadores do site se expõem aos piratas, que podem, digamos, baixar várias aulas e revendê-las ou repassá-las livremente, seja para os amigos ou via redes P2P. Diante disso, achei supimpa a declaração dos criadores:

Temos uma política bem aberta com a pirataria: não vamos penalizar quem participa (por exemplo, com aumento abusivo de valores dos serviços do site) só por causa daqueles que nos prejudicam… É injustiça! Nós nos fizemos mais acessíveis que os piratas… E mesmo assim, com a qualidade que os que participam merecem (sem tarjas, sem bloqueios, sem frescura!).

É quase bom demais pra ser verdade. Estou tão acostumado a ser tratado como ladrão e/ou otário no Brasil (seja num supermercado que exige que eu coloque minha mochila dentro de um saco plástico ou numa loja online que vende gato por lebre) que, quando uma coisa dessas aparece, o filtro de estranheza logo é acionado.

Podemos também pensar que este modelo de negócio, vendendo 15 minutos de vídeo a R$1, deve enfrentar problemas de banda — ora, se o YouTube só consegue se manter de pé por causa dos unicórnios que moram em Mountain View! —, mas, contrariando toda a lógica Lei de Gérson, o fato é que o Eu Vou Passar está de pé há mais de um ano e continua firme e forte.

Até quando? Não sei. Só espero que as grandes gravadoras e a Apple Brasil conheçam este projeto e aprendam com ele. Hellooo! Século XXI chamando a indústria fonográfica, respondam!… 😛

[Dica da Ingrid, obrigado!]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…