O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

De graça, até injeção na testa! XXXI

scatter-20090224Mais uma semana, mais recomendações de músicas gratuitas e notícias muito boas que vos trago!

Publicidade

Graças a uma dica do João K. Paulo (obrigado!) recebida na semana passada, testei com sucesso e agora é oficial: a iTunes Store oferece, sim, músicas 0800 salpicadas com pó de DRM-free! E nem precisa de hack ou de comando no Terminal: basta baixá-las não pela página do Single of the Week, digamos, mas pela seção do álbum do artista.

A coisa não é 100% garantida — como poderemos ver pelas gratuidades desta semana –, mas isso se deve ao simples fato de nem todas as gravadoras e selos musicais abraçarem a política de faixas livres de proteção. A dica em si não é “boa”: é excelente!

Mas vamos às músicas, que a semana está cheia de coisas boas e de surpresas!

Single of the Week

K'naanToda semana, encontramos uma faixa de um artista ou banda de que gostamos e a trazemos até você, gratuitamente, como nosso Single of the Week.

Cidadão de Toronto, mas nascido na Somália, K’naan deixa a música rap engasgada no single de seu álbum vindouro, Trobadour. “Bang Bang” é um chamado de criatividade num gênero em que a homogeneidade reina suprema sobre quase todos. K’naan faz de tudo — flui pelas batidas de rock, canta os ganchos, pisando firme em seu próprio caminho.

Se você gostou da faixa, dê uma sacada no álbum. [15 faixas por US$8]

O que você ganha, se colocar rap, Maroon 5, Outkast e ritmo tropical num liquidificador? “Bang Bang” (link para a iTunes; iTunes Plus)! Esta faixa merece destaque por dois motivos bem simples: ela é maravilhosa, conseguindo misturar com sucesso influências de tudo o que citei acima. Eu poderia dizer que a repetição excessiva de “She shot me!” é um ponto negativo, mas falando sério, diante dos jogos de palavras (rap + Outkast), da batida (tropical) contagiante e de um refrão (à la Maroon 5) que me fizeram arrepiar, qualquer ponto negativo é menor que o que está no final desta frase. Para conferir mais do trabalho do K’naan, dê uma passada no perfil dele no Ning ou no MySpace — este último é insuportável, cheio de vídeos que se iniciam sozinhos, acabam com sua conexão, queimam sua casa. IMHO: 5/5 É preciso estar num dia muito ruim para não curtir esta faixa, ela já é uma das minhas favoritas.

Discovery Download

Passion PitNosso Discovery Download põe em foco um gênero diferente a cada semana, oferecendo de graça uma faixa que julgamos merecer sua atenção.

Um leito sonoro de sons eletrônicos etéreos e magníficos estabelece a fundação mutante para a mente maestral do Passion Pit, Michael Angelakos, pra daí liberar vocais maníacos em falseto sobre estrelas queimando e barbas crescendo através de portas. O resultado cósmico é como entrar numa terra de sonhos enevoada e brilhante — algum lugar entre hypnagogia e MGMT.

Se você gostou da faixa, dê uma sacada no álbum.

Música eletrônica: insondável, incompreensível e, na maioria das vezes, com faixas longas demais para não resultar numa cara de dor quando tocam na reprodução aleatória e você está dentro de um ônibus lotado – sério, eu tenho uma que é ótima, mas que tem 11 minutos! “Sleepyhead” (link sonolento para a iTunes; iTunes Plus) não sofre deste mal específico, mantendo o caráter hermético comum das faixas neste estilo. Bah! A música é muito doida, mas vale a pena, principalmente porque é curtinha e chega a deixar um certo sabor de “quero mais”. E você pode conferir um pouquinho mais no perfil do Passion Pit no MySpace. IMHO: 4/5 A sanidade deles é duvidosa, mas a qualidade do som, nem um pouco.

Canción de la Semana

Melina LeónToda semana, encontramos uma faixa de um artista ou banda que está na crista do sucesso e a trazemos até você, gratuitamente, como nossa Canción de la Semana.

Melina León, do Porto Rico, traz uma performance vocal poderosa e passional a esta faixa de seu novo álbum. A batida é uma mistura de pop estiloso com ritmos estabelecidos por incontáveis conjuntos típicos antes dela. Se você gostar de merengues grandes e sonoros, León providencia.

Se você gostar da faixa, dê uma sacada no álbum.

Hora do drama! Novela mexicana! Uma mulher forte, decidida, que sabe que algo está indo mal com seu amor e dá-lhe um ultimato: diga na minha cara e “No Seas Cobarde” (link covarde para a iTunes)! Quem curte muito estas situações passionais, cheias de lágrimas e gritos raivosos — Maria do Bairro, alguém? –, vai encontrar um prato cheio aqui. O balanço é latino, bom para dançar no curso de dança de salão ou em certos programas de TV, algo que lhe confere mérito, mas não impressiona. Sinceramente? A interpretação é meio teatral, forte, exagerada, então as chances são de que você ache que tem algo errado com a Melina. Se bem que, em termos de “tem algo errado”, você terá com o que se fartar no site oficial ou no perfil do MySpace que _eu acho_ que são dela. Muito ruins! >.< IMHO: 2/5 Seja covarde, ouça o preview de 30 segundos; satisfação não garantida!

Video of the Week

Fever RayO resultado é Fever Ray, um álbum que, ainda que reconhecidamente um trabalho da mesma artista, é dramaticamente diferente de The Knife. Continua sendo construído com uma fundação eletrônica e embelezada com instrumentos tradicionais (violão aqui, congas ali), mas Fever Ray é mais ríspido, temperamental, tem horas em que é um tanto sombrio — menos como uma invasão, mais como um lento processo de colonização. Não que você vá encontrar qualquer coisa tão literal nas letras.

[Retirado da biografia, no site oficial.]

Mano, agora eu perdi o chão: o que é isso?! Sério, que treco é esse?! Se você tentar olhar por um lado bom, mas beeem condescendente, “If I Had a Heart” (link medonho para a iTunes) poderia ser considerada uma música meio new age, meio world music, quem sabe até dotada de uma expressividade indígena, aborígene, sei lá. Daria até pra comparar com “Cursum Perficio” ou “Pax Deorum”, o lado sombrio da Enya. Cara, sério, não tenho palavras pra expressar o quanto este clipe é errado, são tantos níveis e tantas formas de ser ruim que eu não vejo um bom motivo para querer, num momento musical, ver isto passando numa tela. Porém, e aqui justiça seja feita, se você quiser fazer medo a um irmão mais novo ou colocar convidados chatos pra correr da sua festa, esta é a peça perfeita: Fever Ray veio de Silent Hill, não há dúvidas, o filme de terror que ela produz é de altíssimo nível! Quer prova maior do que este vídeo, ou “When I Grow Up”? É desconcertante, é perturbador, ver como estas coisas podem traumatizar uma pessoa. Hoje eu não vou dormir direito! Vá ao perfil dela no MySpace, mas tome cuidado. IMHO: 0/5 Se você sofre de curiosidade mórbida aguda, vai querer baixar, eu SEI.

. . .

Por hoje é só? Ainda não: se estiver disposto, confira um episódio especial da série DOLLHOUSE, um vídeo clipe bem morninho e sem sal, feito com a música tema da série, “What You Don’t Know” (link para a iTunes). É tosco, mas é de graça… E, para o aspirante a músico, não deixe de ver as aulas gratuitas que estão disponíveis na seção FREE on iTunes, da série Learn to Play, da iVideosongs — que não precisa de GarageBand ’09. Toda semana novas aulas gratuitas pipocam, então corra e veja se alguma lhe apetece!

Espero que tenha gostado das músicas e das dicas — o filme de terror veio “por acidente”. Semana que vem, tem mais: espero você! 😀

. . .

Caso não seja cadastrado na iTS norte-americana (e enquanto a Music Store brasileira não chega), recomendo a leitura deste post.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Julgamento do The Pirate Bay, sétimo dia

Próximo Artigo

doubleTwist Beta para Mac simplifica navegação e compartilhamento de mídia com gadgets ou a internet

Posts Relacionados