O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

NYTimes.com fala sobre os usuários do iPhone estarem dispostos a pagar por conteúdo

Saiu ontem um artigo no NYTimes.com analisando o porquê de usuários do iPhone estarem dispostos a pagar por conteúdo muito mais do que o internauta comum. A discussão envolve o posicionamento da Apple de evitar distribuir conteúdo grátis suportado por propagandas e mostra o quanto o desenvolvimento de um mercado para conteúdos pagos se tornou maior — muito mais até do que o esperado.

Publicidade

Aplicativos do iPhone 3G

A adoção de um modelo ou outro é bastante discutível, porém a Apple já provou que aprendeu a vender conteúdo barato — seja US$1 por uma música/aplicativo ou US$5 por um eBook (a Amazon.com enxergou bem isso). O importante disso tudo é que “barato” é muito melhor do que “grátis”, porque dá a autores e provedores de conteúdo um modelo sustentável e que não depende de anunciantes.

Os motivos para tamanho sucesso abordados pelo repórter Saul Hansell envolvem, como sempre, a facilidade e comodidade oferecidas pela Apple em sua loja online. Isso explica o porquê de títulos como o livro iPhone: The Missing Manual, de David Pogue (colunista de tecnologia do New York Times, diga-se de passagem), ter visto a sua edição publicada na iTunes Store se tornar a mais vendida entre todos os meios nos quais foi distribuído.

Em vias de experimentação, a editora O’Reilly Media aumentou o preço do título de US$5 para US$10. Prontamente, as vendas caíram 75%. O modelo de conteúdo barato — ainda que isso seja relativo — deveria servir de exemplo para outros mercados, como os próprios softwares para desktops, que chegam a custar 10, 100, 1.000 vezes mais que um app para iPhone/iPod touch.

Publicidade

Enquanto vejo desenvolvedores lutando para criar formas de combater e controlar a pirataria de seus softwares, me questiono se um programa de US$100 não poderia, de fato, ser vendido por, digamos, US$20. Creio que é muito mais fácil alguém vender 50 cópias de um título de US$20 do que 10 de um de US$100 — e os ganhos finais seriam os mesmos.

A própria Apple sabe um pouco disso, ainda que o preço de alguns dos seus softwares pudesse ser mais baixo — sim, eu acredito que o sucesso financeiro desse tipo de produto depende primordialmente de quantidade de vendas. O Mac Box Set — que inclui o Mac OS X Leopard, o iLife e o iWork — custa hoje muito menos que uma única edição do Microsoft Windows ou até mesmo do Office. Como pode?!

Publicidade

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Silicon Alley Insider, o preço médio dos 100 aplicativos mais populares da iPhone App Store caiu de US$3,15 para US$2,55 (-19%) nos últimos dois meses. E mais: títulos premium, de US$10, simplesmente desapareceram dos gráficos de bestsellers. Isso indica claramente uma tendência, ainda que por um lado possa ser bastante preocupante.

Diante disso tudo, no seu próximo projeto, avalie com calma: barato ou gratuito?

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Dobradiças defeituosas de MacBooks Air não são cobertas pela garantia da Apple

Próximo Artigo

Saiba por que os japoneses detestam o iPhone

Posts Relacionados