MacMagazine conversa com a Apple sobre o iPhone OS 3.0

Desta vez nós não viajamos à Califórnia, mas nem por isso deixamos de lhes trazer informações sobre o evento de hoje em Cupertino, no qual a Apple revelou e apresentou o software iPhone OS 3.0. Ao final da keynote, os jornalistas presentes realizaram perguntas aos apresentadores, mas agora foi a nossa vez.

Publicidade

iPhone OS 3.0 Software

Conversei agora há pouco com o Fabio Ribeiro, engenheiro de sistemas da Apple, e tirei diversas dúvidas adicionais sobre a nova versão do sistema operacional móvel da empresa. Muita coisa nem ele soube responder, por enquanto, mas à medida que formos descobrindo novidades, publicaremos aqui no site.

Conectividade P2P

Os benefícios da novidade foram muito claros em relação a jogos multiplayer, porém ainda não sabemos como que aplicativos em si poderão explorá-la. O Fabinho me contou que o que a Apple fez foi disponibilizar a tecnologia aos desenvolvedores, que se beneficiarão de uma infraestrutura completa de comunicação via Bluetooth e IP sem a necessidade de configuração por parte do usuário (santo Bonjour!) ou pareamento de dispositivos.

Ainda não se sabe se a Apple irá impor limitações acerca dos dados que poderão ser trocados via Bluetooth/Wi-Fi, mas é bem capaz que haja, sim, alguns tipos de restrições.

Tethering no Brasil

A Apple anunciou hoje que o iPhone OS 3.0 estará preparado para proporcionar tethering aos usuários, isto é, permitir que o iPhone seja usado como um modem 3G externo, comunicando-se com computadores via USB ou Bluetooth.

Todavia, tal funcionalidade depende diretamente da estrutura de operadoras de telefonia, que normalmente cobram adicionais mensais pelo seu uso. É certo que a Apple já deve estar fechando um acordo com a AT&T nos Estados Unidos, mas no resto do mundo a disponibilidade do serviço irá depender do interesse e disponibilidade técnica de cada operadora.

Publicidade

Em terras tupiniquins ainda não se sabe nada sobre o assunto, mas eu aposto que pelo menos uma das três parceiras da Apple por aqui — Claro, Vivo e TIM — se interesse em oferecer tal diferencial para os consumidores brasileiros. Tomara que, quando isso acontecer, o adicional não seja caro demais.

SMS + MMS = Messages

De fato, tal como eu desconfiava, o aplicativo SMS agora virou Messages (Mensagens, em português). Ele passa a integrar a funcionalidade MMS, mas o programa continua o mesmo — inclusive o seu ícone é idêntico.

Spotlight

Além da funcionalidade de buscas em diversos dos seus aplicativos nativos, o iPhone OS 3.0 virá com um Spotlight global, bem parecido com o do Mac OS X. Desenvolvedores poderão explorar sua API e integrar outros programas ao sistema, mas inicialmente ele funcionará com emails, contatos, anotações e até mesmo aplicativos (funciona como um lançador).

Questionei o Fabinho sobre a performance do recurso (se será praticamente instantâneo, como no desktop) e preferências especiais (filtragem de itens, habilitar/desabilitar quais serão mostrados na lista de resultados, etc.) e ele ainda não soube me responder nada com relação a isso.

Mais performance e estabilidade no sistema

A Apple continua trabalhando para tornar o iPhone OS o mais leve/rápido possível, ao mesmo tempo em que proporciona estabilidade ao usuário. Ela considera, contudo, que a versão atual do sistema (2.2.1) já é muito boa nesse quesito, e que é preciso separar problemas e más experiências com aplicativos de terceiros do que se obtém usando o sistema operacional e os programas que o acompanham nativamente.

Apesar de a Apple possui um sistema bastante rigoroso de aprovação e avaliação dos títulos que vão à App Store, é responsabilidade dos próprios desenvolvedores trabalharem na otimização de seus códigos para proporcionar um uso estável e com boa performance dos softwares e games comercializados na loja.

In-App Purchases

A partir do iPhone OS 3.0, usuários poderão adquirir extras de jogos e aplicativos dentro de suas próprias interfaces, como novas fases de games ou eBooks. A comunicação é totalmente integrada à própria App Store, o que significa que a pessoa utilizará seus próprios créditos na loja para realizar tais compras.

App Store brasileira

De acordo com o Fabinho, a decisão de onde disponibilizar softwares é de cada desenvolvedor, e não da Apple. Isso significa que, se a loja brasileira possui menos ofertas de aplicativos que as internacionais, isso foi escolhido por cada um deles.

O principal motivo para tal limitação é a obrigatoriedade de, no momento em que se coloca um app à venda em determinado país, prestar suporte para todos os consumidores do mesmo. Muitos desenvolvedores não querem ter essa dependência, especialmente em países onde o idioma predominante não é o inglês.

O caso de jogos, porém, é um assunto à parte. Tal como já comentamos anteriormente aqui no MacMagazine, a legislação brasileira possui limitações e uma burocracia especial que afeta a comercialização de games no país, por isso a ausência de tal categoria na App Store Brasil. Ainda que não tivesse nenhuma novidade para nos contar nesse sentido, o Fabinho abriu a possibilidade de isso mudar em breve, mas não há qualquer confirmação de que isso de fato acontecerá.

Atualização do iPod touch para os brasileiros

Tal como divulgamos, a atualização para o iPhone OS 3.0 custará US$10 para usuários de iPods touch, quando chegar ao mercado em meados deste ano. Para os brasileiros o preço será exatamente o mesmo, visto que o pagamento é feito via cartão de crédito internacional na própria iTunes Store. O valor, em reais, dependerá da cotação em que o dólar fechar no dia de vencimento da fatura do cartão.

Abrangência das 1.000 novas APIs

No meio de tantas novas APIs, muita coisa está ligada à outra, o que significa que fica difícil avaliar a abrangência das novas possibilidades dadas aos desenvolvedores. Falar sobre o que pode interessar a uns ou a outros também é muito variável, visto que cada projeto de software ou game pode utilizar um grupo diferente de APIs.

Ainda assim, o Fabinho destacou bastante as novidades relacionadas à comunicação de acessórios/periféricos (citando um exemplo dado durante a keynote, no qual conectou-se um medidor de glicose do sangue ao dock do iPhone), as notificações push em plano de fundo (uma bela solução encontrada pela Apple, que garantirá a manutenção da autonomia da bateria do smartphone) e o acesso à API completa do Google Maps.

“Deveremos ver surgirem aplicativos que nunca nem sequer imaginamos”, comentou ele.

Retrocompatibilidade com apps de firmwares anteriores

É difícil afirmar generalizadamente, mas é bem provável que boa parte dos aplicativos e jogos hoje disponíveis para iPhones/iPods touch 2.x continuem funcionando normalmente no iPhone OS 3.0. O iPhone SDK, que surgiu com a versão 2.0, continua presente no novo pacote, com a mesma estrutura de chamadas de APIs e comunicação com o sistema operacional do aparelho.

O kit de desenvolvimento do iPhone, explica o Fabinho, é bem parecido ao do Mac OS X. Enquanto os desenvolvedores utilizarem corretamente as APIs divulgadas e documentadas publicamente pela Apple, não deverão ter problemas com retrocompatibilidade.

Ainda assim, tal como fez com a geração anterior, a Apple anuncia e disponibiliza versões beta do sistema operacional e do SDK para os desenvolvedores justamente para garantir que tenham tempo de atualizar seus softwares/games e realizar todos os testes necessários para garantir que tudo funcione nos conformes na nova versão do firmware.

Novidades no Mobile Safari + WebKit

Pouco se sabe ainda sobre as novidades nas quais a Apple tem trabalhado para a próxima versão do Mobile Safari. Tanto o browser móvel (no iPhone OS 3.0) quanto a sua versão 4 no desktop ainda são betas, o que significa que muito pode mudar até chegarem a um estágio final de distribuição.

Todavia, o Fabinho destaca que o Mobile Safari continua sendo visto pela Apple como uma ótima plataforma de desenvolvimento de aplicativos — os chamados Web apps —, excelente para muitas aplicações e bem mais simples que criar um software com o iPhone SDK, que requer programação em Objective-C.

. . .

O MacMagazine agradece a atenção dada hoje pela Apple Brasil e o esclarecimento dos tópicos abordados neste artigo. Tal como comentamos antes, daqui pra frente muitos detalhes e novidades deverão surgir, e nós estaremos aqui para divulgá-los para toda a comunidade.

Que o meio do ano chegue logo! 😉

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…