O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Backup no Mac: seus dados na “nuvem”

Disco de Backup do Time MachineQualquer metodologia de backup, seja lá qual for, reza que ter uma cópia em um local remoto é mandatório. A grande novidade é que não é necessário ser nenhum maníaco por segurança para ter as fotos da sua família, músicas e documentos “trancados” em um datacenter bem longe.

Publicidade

Opções para o usuário doméstico começaram a pipocar na internet, bem como as alternativas de discos externos e softwares do gênero. Até mesmo para criar uma melhor referência do teste, focamos nas opções online mais populares entre os sites de tecnologia.

Só vale ressaltar que muito da experiência com cada produto se deve à qualidade de conexão disponível. Para situá-los, todas as análises deste artigo foram feitas por meio do uso de uma conexão Virtua de 12Mbps.

Dropbox

É uma das opções mais populares da internet. Trata-se de um “mix” de pendrive online com uma ferramenta de backup extremamente ágil. O Dropbox reforçou o conceito de que guardar arquivos online não deve ser algo complexo. Pelo contrário: deve aparentar ser uma extensão do seu disco rígido.

A versão de teste do produto, de 2GB, é representada por meio de um ícone, que fica sempre na barra de menus do Mac OS X. Basta clicar nela e o disco virtual é aberto. Aí, é questão de arrastar e soltar arquivos.

Dropbox cede 2GB de espaço no trial

O fato de não ter nenhum mecanismo de backup automático gera muita discussão se é, ou não, uma ferramenta do ramo. Pela facilidade de uso, deve ser ao menos considerada. É fato que qualquer usuário preferiria arrastar um arquivo importante para a pasta do Dropbox do que iniciar um complexo backup online.

Publicidade

Sem dúvida, ele é uma mão na roda principalmente para quem tem mais de um micro. Mesmo em sistemas operacionais distintos, seu sincronismo é perfeito.

O Dropbox custa US$10 mensais, ou US$100 por ano.

Mozy

Tente digitar “backup online” no Google; é certeza que encontrará variadas referências ao produto da EMC. O seu preço é bem atraente: US$5 mensais, com espaço ilimitado.

Mais uma vez, o fato de ter a gigante de armazenamento por trás — a EMC — gerou muitas expectativas, mas a esperança virou mais dúvida do que certeza. O upload de arquivos não teve nem de perto uma velocidade interessante. Pode ter sido devido ao Virtua, mas outros serviços tiveram um desempenho bem melhor.

Publicidade

A maior lamentação quanto ao Mozy fica por conta da inteligência com discos rígidos externos. Se o usuário desplugar o HD externo do Mac, ele simplesmente recomeça todo backup do zero. Sim, do zero. O suporte técnico do serviço confessa o problema e argumenta que ele não foi desenhado para usuário com disco externo, só para o da máquina.

MobileMe

Junto do Dropbox, é um dos serviços mais conhecidos — o mais “chique”, certamente. Ter um domínio ligado à marca Apple é elegante demais. Mas pompa não é tudo.

O jeitão de funcionamento do produto é super simples. Vá ao Finder e veja o disco extra do serviço. É questão de arrastar e soltar arquivos por lá.

Todo o apelo do serviço é ter muita coisa já pronta — na mão, como tudo da Apple. Seja o backup dos favoritos do Safari ou o livro de endereços, com os contatos dos seus amigos. O mesmo vale para exportar fotos e sites, já que toda a suíte iLife é preparada para jogar o conteúdo para o MobileMe.

Interface do MobileMe

A alegria pode ser contestada por alguns usuários que também usam outro sistema. A integração com o Microsoft Windows, por exemplo, está muito longe do Dropbox.

Seja pelo sex appeal do produto ou pela facilidade para exportar conteúdos, o produto pode ser comprado pelo preço de US$100 para 20GB por ano, ou US$150 anuais no pacote família.

Carbonite

Faz sua estreia na plataforma Mac. Chega principalmente para concorrer com o Mozy, da EMC. O preço é até semelhante: US$55 anuais (aproximadamente US$4,58 mensais), com espaço ilimitado de backup.

Interface do Carbonite

Não apresenta as falhas do concorrente quanto à questão de HDs externos. Além das ferramentas que permitem escolher os diretórios a serem guardados ou não, o Carbonite surpreende em vários pontos. O primeiro é que permite ajustar até o quanto a ferramenta consumirá de banda. Ajuste para “Low” e continue a navegar numa boa.

Outra coisa interessante é a janela de recuperação de arquivos, que se limita a ser muito semelhante ao Finder. Tudo indica que o pessoal da Carbonite teve muito cuidado para debutar na plataforma Mac.

Em comparação ao Mozy, conseguiu subir dados numa velocidade bem maior.

Outras opções

Como dito, opções de backup online (ou na cloud, para os mais modernos) não faltam. A dica que fica é justamente ver quando optar entre pagar ou não por um serviço do gênero. Teste bem a versão de testes, se houver.

Outro item é: opte sempre que possível por uma versão de pagamento mensal. Não gostou, cancele no mês seguinte. O básico da economia vale bastante nessas horas, até mesmo porque a velocidade da sua internet é um ingrediente que mexe muito nessa equação.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

MacHeist 3 disponibiliza mais três aplicativos num novo desafio

Próximo Artigo

iPhone OS 3.0 poderá trazer melhorias na divisão de contatos por grupos

Posts Relacionados