O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Resenha de leitor: Mac mini (Early 2009)

Colaboração especial por Thiago Pereira.

Publicidade

Adquiri no último domingo um Mac mini e resolvi escrever esta resenha para responder a algumas dúvidas sobre ele, que parece ser o maior responsável pela “entrada” de antigos usuários de PC no mundo Apple.

Mac mini Early 2009

Este último modelo foi lançado em março, depois de quase dois anos sem um upgrade significativo. Quando todos pensavam que ele estava morto, a Apple deu uma “guaribada” no seu pequeno notável, que conta com grandes avanços. Vou tentar destrinchá-lo nos próximos parágrafos para melhor entendimento.

Mac mini Early 2009

Publicidade

Observação: o modelo usado nesta resenha foi o Mac mini Intel Core 2 Duo 2GHz, com 1GB de RAM DDR3 1.066Mhz e NVIDIA GeForce 9400M com 128MB de VRAM. Trata-se do Mac mini (Early 2009), modelo MB463PO/A. Quando me referir ao Mac mini antigo, falo do modelo com RAM 667MHz e 64MB de memória de vídeo compartilhada.

Embalagem

A primeira coisa que você pensa quando vê a caixa do Mac mini é: só isso?! Ela é ligeiramente menor que dois Macs mini empilhados. Feita totalmente de papel reciclável, eis um bom agrado aos ecologistas de plantão. Segundo a Apple, este novo modelo consome até 45% menos de energia em modo de espera que seu antecessor.

Mac mini Early 2009

Publicidade

Em seu interior vemos logo acima a “manjada” caixinha — desta vez branca — com os manuais, DVDs de instalação do Mac OS X 10.5.6 e o pacote iLife ’09.

Mac mini Early 2009

Publicidade

Logo abaixo dela, vemos o Mac mini com uma proteção de plástico. Ligeiramente mais leve que seu antecessor (1,31kg, contra 1,32kg), ele possui as mesmas dimensões (50,8×165,1×165,1 centímetros) e acabamento em alumínio. A case em si é exatamente a mesma.

Acessórios

Abaixo do Mac mini temos a fonte — idêntica à anterior — e um adaptador Mini DVI » DVI. Este modelo possui “apenas” uma porta Mini DVI e agora uma Mini DisplayPort. Não existe uma saída DVI “grande” como no anterior, e é aí que começam os problemas.

Mac mini Early 2009

Bem, se você não tivesse um monitor com entrada DVI, o que faria? Simples! Usaria um adaptador DVI » VGA e tudo estaria resolvido, certo? Errado! A Apple mais uma vez dificultou as coisas com a falta de padronização em seus conectores de vídeo e lançou um adaptador com uma saída DVI diferente do padrão _que ela própria usou_ no Mac mini antigo. O adaptador da Apple DVI » VGA distribuído junto com o anterior não serve para o adaptador atual.

Confira abaixo a diferença:

Conector do Mac mini antigo
Conector do Mac mini antigo
Conector do Mac mini novo
Conector do Mac mini novo

O problema é que o adaptador antigo “macho” possui, em volta da “língua” à direita, quatro pinos que não entram no novo adaptador. Essa “língua” no novo adaptador também é mais fina, ou seja, se você for corajoso o suficiente para arrancar os quatro pinos, ainda assim não conseguirá plugar o cabo.

Isso não foi um grande problema para mim, porque este Mac mini servirá de media center, principalmente para internet e joguinhos antigos. Logo, eu já tinha em casa um adaptador DVI » HDMI que usava às vezes ligado a um PC. Por acaso, esse adaptador seguia o mesmo padrão adotado neste novo conector.

Uma observação importante para quem também pretende usar o novo Mac mini como media center: ele não mais acompanha o Apple Remote. Todavia, como em todos os outros Macs, ele continua sendo compatível com o mesmo. E por falar nisso, você já conhece o Plex Media Center? 😉 Recomendo bastante.

Portas/entradas

Olhando a parte de trás do Mac mini, vemos algumas diferenças significantes: continuamos com uma entrada Ethernet Gigabit; a porta FireWire agora é 800 (foi-se o FireWire 400); quanto às duas entradas de vídeo já comentadas, elas dão a possibilidade de conectar dois monitores simultaneamente, tanto como espelho quanto desktop estendido; temos cinco portas USB 2.0 (contra quatro de antes); e as saídas de som, que não mudaram absolutamente nada, uma entrada e uma saída digitais.

Mac mini Early 2009

Conectividade

O Mac mini vem com rede sem fio AirPort “802.11n draft” e Bluetooth 2.1 + EDR. Ou seja, ele está apto a se conectar com a maior velocidade possível, aonde quer que você vá.

Interior

É aqui que o Mac mini mostra a maior diferença frente aos seus antecessores. A quantidade de memória instalada nas duas versões é a mesma (1GB ou 2GB), sendo que agora as memórias são DDR3 de 1.066MHz e com possibilidade de expansão para até 4GB. Nas duas versões, um slot de memória está livre para expansão, ao contrário das versões anteriores: em uma eventual expansão, os dois pentes de memória eram perdidos.

Mac mini Early 2009

O processador é o Intel Core 2 Duo de 2Ghz (modelo P7350), o que garante um bom desempenho em múltiplas tarefas e com menor dispêndio de energia.

O drive de gravação de DVDs/CDs (SuperDrive) sofreu uma atualização e agora grava DVDs a até 8x e CDs a até 24x. Ele ficou mais silencioso, também, na minha opinião.

Vídeo

Falar de vídeo merece um capítulo à parte. Uma das grandes reclamações dos usuários de Macs mini anteriores era a placa de vídeo compartilhada de apenas 64MB, a Intel 965G. A Apple resolveu este problema com o chipset 9400M da NVIDIA, que promete (e cumpre) ser até cinco vezes mais rápido.

Na versão mais básica, ele vem com 128MB de VRAM compartilhada com o sistema; com um upgrade para 2GB, aloca mais 128MB para a placa de vídeo, chegando aos 256MB. Infelizmente não é possível chegar aos 512MB, nem mesmo com 4GB de RAM.

Reprodução de filmes

Este novo chipset consegue reproduzir vídeos em 1080p utilizando um monitor com resolução de 1920×1080 pixels sem falhas e com aceleração por hardware, o que diminui bastante o uso do processador. Os testes que realizei foram com o próprio Plex, que comentei acima.

Jogos

Conforme mencionado anteriormente, usarei o Mac mini também para jogar games antigos. Em tempo, ele serve muito bem aos jogadores mais “atuais” e sedentos por novidades.

No primeiro teste, tentei rodar o SimCity 4 para ter uma base de quadros por segundo — antes, era impossível o jogo rodar por causa dos constantes gargalos. Tal foi minha surpresa que o “danado” rodou muito bem em resolução de 1280×1024 pixels (32 bits) e com todas as opções habilitadas, sem nenhum problema que comprometesse a jogabilidade!

O segundo teste foi com Star Wars Battlefront, um jogo relativamente antigo, mas que dava um grande trabalho para o Mac mini anterior. Como esse jogo tem contador de fps, separei os dados para vocês:

Jogo Mac mini antigo Mac mini novo
Star Wars Battlefront 9fps 32fps
Quake 4 5,6fps 39,1fps
Unreal Tournament 21fps 63fps
Call of Duty 4 N/A 35fps

Os valores acima são médios, é claro. O COD4 às vezes chegava a 8fps em partes com muito detalhamento gráfico ou tiroteios mais “intensos”, por exemplo.

Performance

A performance geral do sistema melhorou devido à memória, mas nada que surpreenda. O carregamento dos programas ainda depende, em sua maioria, do HD — que ainda é o de 120GB a 5.400RPM. Ele não é nenhum campeão em velocidade, mas mantém baixa a temperatura interna e o consumo de energia pretendidos pela Apple. No modelo topo de linha, com 320GB, o HD consiste em dois discos de 160GB juntos, o que aumenta um pouco a sua performance.

Alguns programas tiveram notoriamente muitos benefícios com o novo chipset gráfico, como é o caso do iPhoto ’09 e do iMovie ’09, que rodam mais “suave” mesmo com uma grande quantidade de fotos no álbum ou de vídeos em alta resolução.

Curiosamente, consegui rodar com uma relativa “folga” o Adobe Photoshop CS3 e o Final Cut Express, mas, devido à “pequena” quantidade de RAM, abrir mais alguns programas pode deixar todo o sistema lento. Um upgrade de memória para os interessados em trabalhar com esses programas é interessante.

Conclusão: vale a pena?

Se você já possui um Mac mini Intel relativamente recente e não precisa de muitos aplicativos que exijam processamento gráfico, minha resposta é *não* — principalmente pelos preços praticados pela Apple no Brasil: R$2.650 na versão básica e R$3.500 na de 2GB de RAM e 320GB de HD.

Mac mini Early 2009

No entanto, se você possui um mini PowerPC ou um outro computador da Apple não tão recente, esta maquininha não vai te deixar na mão. Para você que quer trabalhar com pequenos serviços de edição de imagem/vídeo, recomendo somente um upgrade de memória para pelo menos 2GB. Claro, lembrando que a Apple não possui a nomeclatura “Pro” em seus produtos à toa! Se você realmente trabalha “pesado” com computadores, o Mac mini não é para você.

Espero ter ajudado principalmente os usuários de PCs que querem se aventurar no mundo Mac, além de, é claro, os já seguidores da Apple, que estão sempre à procura de novidades.

Ver comentários do post

Os comentários estão fechados.

Artigo Anterior

Apple já é uma das cinco principais fabricantes de computadores do Reino Unido

Próximo Artigo

iTracker controla o cursor do mouse com movimentos da cabeça

Posts Relacionados