O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple e outras empresas na justiça em processo envolvendo o app Shazam

Shazam no iPhoneHora do show “Efeito Colateral”: Samsung, Apple, Amazon.com, Napster, Motorola, Gracenote, Verizon Wireless, LG Electronics, (*toma fôlego*), AT&T Mobility e Pantech Wireless estão sendo, _todas_, processadas pela desconhecida empresa Tune Hunter, simplesmente porque a Shazam Entertainment Ltd. teria infringido uma patente sua de 2005. À primeira vista, pensa-se logo em “atirar pra todo lado”, mas o documento em questão descreve (meus destaques):

Publicidade
[…] um sistema de identificação/compra de músicas, especificamente um método para marcar a hora e o nome da rádio em um aparato portátil […] que permitirá ao usuário conhecer, via internet ou telefonia regular, o nome da canção, do artista e/ou gravadora, cruzando dados armazenados com arquivos de radiodifusão. […] Uma aplicação alternativa provê o ouvinte com meios convenientes de gravar um segmento da música no qual ele(a) esteja interessado. O segmento gravado é reproduzido em um aparato que possa identificar a canção com base no trecho e prover ao usuário informações da canção identificada, tais como título, cantor ou artista, compositor, produtor, etc., e proveria informações de compra relacionadas.

Ok, depois de ver essa quase descrição da funcionalidade do Shazam, podemos começar a esperar que o resultado seja negativo ou que algum ninjitsu burocrático livre a cara da desenvolvedora, que já foi até protagonista de comerciais do iPhone 3G. A pletora de envolvidos se deve ao fato de o aplicativo estar presente em inúmeros portáteis, de diversos fabricantes (num total que chegará a 250 milhões, até o final do ano), inclusive alguns não citados no processo, como Research In Motion (com os BlackBerries) e T-Mobile/HTC (com o G1).

A Tune Hunter requer indenização, honorários de advogados e interrupção das infrações, alegando ainda ter entrado em contato com “mais de um dos acusados” e que eles teriam persistido no erro deliberadamente. Apple, AT&T, Shazam e Gracenote, já intimadas, não quiseram comentar o assunto.

Não é por nada, não, mas só de olhar o texto da patente, eu fiquei arrepiado. Acho que essa, a Tune Hunter leva, nem que seja só em parte: veremos se vai rolar litígio ou rendição acordo.

[Via: AppleInsider.]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

“Laptop Hunters”, take 5: será que a Microsoft soube agradar Lauren e Sue?

Próximo Artigo

Übermind lança Maperture Pro, versão avançada do seu plugin de localização para o Aperture

Posts Relacionados