John Carmack publica relatório de progresso sobre o Doom Classic para iPhone OS

Recente entusiasta de jogos para iPhone e CTO da id Software, John Carmack publicou há pouco tempo um artigo tratando dos avanços que ele e sua equipe de desenvolvimento estão tendo com a versão para iPhone OS de Doom Classic — que, como o nome já diz, é um os grandes clássicos da empresa e também do mundo dos jogos. Segundo Carmack, o trabalho deles nesse lançamento se intensificou nas últimas semanas, e uma versão beta já está nas mãos de um grupo seleto de pessoas de fora da companhia.

Publicidade

Doom

O executivo se referiu ao título como um trabalho mais sério do que Wolfenstein 3D, que está na App Store há um tempo e também é um clássico. Para ele, é importante que Doom chegue a um estágio robusto, funcional e com excelente experiência de jogo em iPhones/iPods touch, a fim de agradar aos milhões de usuários que o jogaram e lembram de como ele era bom para aquela época. Ele também deve chamar a atenção da comunidade de pessoas que ainda existe ao redor do título original, desenvolvendo recursos adicionais ou simplesmente jogando por prazer.

Doom

“Fazer o Doom original funcionar em uma nova plataforma requer dois dias de trabalho. Fazê-lo rodar em uma plataforma que não possui mouse, teclado ou excesso de poder de processamento é um desafio honesto de desenvolvimento”, afirma Carmack, que se preocupa bastante com as limitações que a plataforma móvel da Apple possui, tanto em hardware, quanto na fácil distribuição de títulos via 3G.

Doom

O segundo aspecto é mais incômodo porque Doom é um jogo mais pesado que Wolf 3D, e o pessoal da id ainda teve de executar mudanças na codificação do áudio para atender às exigências do uso de OpenAL para posicionar seu áudio em 3D. Acreditem ou não, a música e os efeitos sonoros são o que mais pesa no título e, apesar de a barreira de 10MB para download via 3G já ter sido ultrapassada no primeiro beta, Carmack não está preocupado em isso prejudicar a rápida popularização do projeto.

Doom

Outra grande preocupação dos engenheiros da id dedicados ao Doom foi quanto aos seus gráficos: a maior parte do trabalho deles foi experimentar tipos de texturas diferentes, umas com o dobro da resolução do original e outras com a paleta de cores alterada, em variados tipos de compressão, para tentar dar a melhor experiência possível ao iPhone OS. No final, acabou que eles decidiram usar os mesmos recursos do título original, o que na qualidade atual fez o executivo chegar à conclusão de que a experiência de jogo será tão envolvente quanto em seu primeiro experimento, há mais de uma década.

“Muitos lembram dele como o melhor jogo de todos os tempos, mas ‘todos os tempos’ mudou um pouco na última década”, disse Carmack, que prometeu o título para a versão 2.0 do iPhone OS com modo multiplayer via Wi-Fi e dará um novo relatório de progresso em breve sobre o desenvolvimento. O executivo espera enviá-lo para aprovação no mês que vem, mas uma atualização para a chegada do iPhone OS 3.0 já está sendo planejada e contará com modo multiplayer via Bluetooth.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…