O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Confira detalhes de como funcionarão os serviços de localização no Mobile Safari 3.0

Maps no iPhone OSA demonstração do Google Latitude em um iPhone, feita por Vic Gundotra no primeiro dia da Google I/O 2009, foi a primeira aplicação de um web app rodando no Mobile Safari 3.0 que tira vantagem dos serviços de localização presentes em iPhones/iPods touch. Com a próxima atualização da plataforma móvel da Apple, o uso desses serviços deixará de ser uma exclusividade de aplicativos nativos e contribuirá para pôr novas possibilidades nas mãos de desenvolvedores web, não apenas para aplicações semelhantes ao Latitude, mas também para redes sociais e sites de utilidades, por exemplo.

Publicidade

Acessar serviços de localização sempre foi algo difícil na internet. Aparelhos de GPS integrados a telefones e outros gadgets — o que se aplica ao iPhone — geralmente precisam de um espaço de tempo para dar resultados precisos, enquanto localização por IP — algo que o Latitude usa em desktops quando não conectados via Wi-Fi — pode ser influenciada por proxies e apontar para locais completamente diferentes de onde o usuário esteja. No entanto, o trabalho feito pela gigante de buscas nos últimos dois anos em conjunto com a Skyhook permitiu a eles obter localização por meio de dados triangulados de antenas de redes celulares e hotspots Wi-Fi, algo que a Apple começou a utilizar no Maps para iPhone no início de 2008.

O grande passo para a popularização dessa tecnologia, no entanto, é a sua adoção em massa no desenvolvimento dos futuros navegadores web, algo que começou a ser feito no ano passado, com a padronização da API de Geolocalização pelo W3C Consortium. Apesar de ainda não estar finalizada, é por meio dela que todos os browsers abertos que suportam HTML 5 podem ter acesso a serviços de localização influenciados pelos mesmos dados que comentei algumas linhas acima, com o consentimento do usuário — se ele não quiser ceder sua localização por medidas de segurança, basta recusar. 😉 Safari, Firefox e Chrome são exemplos da aplicação dessa nova API.

Publicidade

Como podem ver, dar mais funcionalidade a web apps por meio de localização já é uma realidade para uma parcela enorme de usuários que usam os produtos acima. Mas, no caso do iPhone, uma outra demonstração produzida pela Mozilla já está disponível online e pode ser usada para testar essas possibilidades, se você já estiver com o firmware 3.0 instalado.

Localização no iPhone OS 3.0 Localização no iPhone OS 3.0

Como vocês podem ver nas screenshots acima, fornecer informações de localização no Mobile Safari 3.0 requer total consentimento do usuário. Além do já conhecido alerta de confirmação requisitado pelo sistema para o aplicativo que vai lidar com esses dados pela primeira vez, o navegador também alerta o usuário, a cada visita, que um site pede esse tipo de informação. Uma vez que a pessoa aceite o uso dela pelo site, veja a seguir que a página começa a exibir a latitude e a longitude de onde o aparelho se encontra. Note, ainda, que a precisão não deixa de ser igual à do próprio Maps, nativo do iPhone OS.

Localização no iPhone OS 3.0 Localização no iPhone OS 3.0

Claro, se você não quiser ser incomodado com esses alertas e não quer fornecer sua localização para nenhum site, é possível desativar o recurso indo a Ajutes » Geral no seu iPhone/iPod touch. Atente para o fato de que uma notificação ainda será exibida se você acessar um site que dependa dessa informação.

Localização no iPhone OS 3.0 Localização no iPhone OS 3.0

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Best Buy libera memorando interno alertando toda a sua rede sobre baixo estoque de iPhones

Próximo Artigo

Microsoft Zune HD chegando dia 5 de setembro; já o Kindle DX, 10 de junho

Posts Relacionados