O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

O que falta no iPhone 3GS e no iPhone OS 3.0? (ou o que podemos esperar no próximo iPhone e no firmware 4.0)

Ok, o iPhone 3GS chegou (no Brasil ainda não, eu sei, mas todos já sabemos bastante sobre ele) e o iPhone OS 3.0 idem. Ainda não se fala nada sobre a próxima geração do aparelho, mas sem dúvida alguma o pessoal de Cupertino não para. A equipe responsável pelo sistema operacional, então, está mais ágil ainda e já soltou a primeira beta da 3.1. Mas só veremos grandes mudanças, de novo, na 4.0.

Publicidade

iPhones 3GS

É sobre os próximos iPhone e firmware que quero falar neste artigo, em uma espécie de continuação/atualização de um que publiquei aqui em meados de maio. A Apple mandou muito bem quando atendeu a pedidos incansáveis de seus consumidores com os últimos updates de hardware e software, alguns deles tão básicos que deveriam ter sido implementados desde os primeiros modelos.

A gama de recursos oferecida hoje já é tão diversificada que, aos poucos, o iPhone começa a se tornar um canivete suíço daqueles sobre o qual muita gente acaba só descobrindo coisas meses mais tarde. Mesmo assim, a ideia de algo multifuncional é justamente essa: atender às demandas dos mais diversos tipos de usuários — uns podem pensar que XYZ é a maior besteira, enquanto outros consideram-na fundamental no uso diário.

Publicidade

O que a Apple tem no seu pipeline de desenvolvimento futuro, então? Não sei dizer, mas listo aqui algumas coisas e conto com a colaboração de vocês, nos comentários, para complementarem o que não me veio à mente enquanto escrevia.

Para o “iPhone 3GS Plus Super Max HD Video”

  • Suporte a vídeos em HD: ora, a iTunes Store já está infestada deles. Quanto chegar ao mercado, este ano, o Zune HD (como seu próprio nome já diz) oferecerá este recurso. Por que nós não podemos, então, armazenar vídeos em alta definição no iPhone e conectá-lo a HDTVs para _aquela_ experiência cinematográfica doméstica? 😉 Os rumores já começaram a pipocar por aí.
  • AirPort 802.11n: como já se falava sobre isso para o iPhone 3GS, só posso imaginar que a Apple decidiu segurar a novidade devido ao consumo de bateria. Mas a tendência é que seus gadgets migrem para o padrão mais moderno em breve, permitindo que usuários possam finalmente configurar redes domésticas e corporativas para trabalharem apenas com o novo protocolo (mais rápido e de maior alcance).
  • Uma câmera ainda melhor: ninguém pode negar a evolução que foi este ponto, do iPhone 3G para o 3GS. Mas ainda há muito espaço para aprimoramentos, não só em megapixels (há quanto tempo o Nokia N95 já oferece uma de 5MP, mesmo?!), como na qualidade de imagem em si. Desenvolver lentes tão pequenas em gadgets como o iPhone ainda é um grande desafio tecnológico, mas eu tenho certeza de que eles chegarão lá. Que tal embutir um flash LED também, hein, Apple? As fotos e filmagens à noite agradecem.
  • Bateria mais potente: eu não vou nem considerar os relatos recentes de autonomia de bateria abaixo do esperado no iPhone 3GS; vamos assumir que tudo isso melhorará com o OS 3.1. A própria Apple comenta melhorias da penúltima geração para a atual, mas mesmo os números delas são bem modestos. Ora, o iPhone já não oferece uma bateria removível, então os engenheiros de Cupertino têm, sim, bastante espaço para trabalhar e inovar com ela. Tá na hora de fazer o iPhone aguentar pelo menos uns dois dias sem uma recarga, right?
  • iSight frontal para videoconferências: taí outro rumor que já é super batido; creio que, da próxima geração, não passa. Uma segunda webcam frontal para videoconferências — com resolução inferior à traseira, mas que permita à Apple implementar um iChat Mobile no iPhone, além da chegada de outros apps de chat como Skype, AIM, Fring e afins. Estamos chegando ao Back to the Future.

Para o iPhone OS 4.0 ou iPhone OS ’10 ou OS X iPhone 4.0

  • Suporte ao Adobe Flash: não é por nada, não, mas com esse atraso todo a Apple só está provando que muitos realmente _não precisam_ de Flash no iPhone. Eu, pessoalmente, senti falta disso pouquíssimas vezes. Aliás, dou graças a Deus por não ver tantas animações e coisas pulando pelo Mobile Safari justamente pela falta de suporte. Todavia, como para muitos isso é algo necessário, eu acho que seria uma boa Apple e Adobe pelo menos darem essa opção aos consumidores. Poder de processamento não é mais um problema, com a CPU/GPU do iPhone 3GS.
  • Sincronização wireless: boa parte dos dados armazenados no iPhone já são sincronizados sem fio com o MobileMe — emails, contatos, calendários, etc. —, mas por que não expandir isso para tudo? Até tethering (internet via Bluetooth) a Apple já conseguiu implementar. Plugar um cabo USB para que o iTunes consiga enxergar um iPhone próximo é muito 2008.
  • Gerenciador de arquivos: o iPhone precisa de um modo de disco urgentemente — ainda mais agora, que ele oferece capacidades de até 32GB. Junto com ele, um Finder integrado para gerenciamento dos arquivos salvos no aparelho, que seriam evidentemente sincronizados pelo ar com o Mac/PC (veja o tópico anterior).
  • “Tapinha” no Notes: o aplicativo nativo de anotações do iPhone dá pro gasto pelo que se propõe, mas pode ser bastante aprimorado pela Apple, com novos temas além do tradicional caderninho amarelo, customização de cores e fontes, uma área de listas de tarefas pendentes (To-Do’s), entre outros.
  • Edição básica de fotos: ora, até vídeo o iPhone 3GS já consegue cortar! Não seria nada mal um “Preview Mobile” no iPhone OS 4.0, permitindo que o usuário faça ajustes básicos em imagens (brilho, contraste, níveis, exposição, temperatura, etc.), “cropá-las”, rotacioná-las e por aí vai. Depois, é claro, não custa nada um menu “Compartilhar” (“Share”) apimentado com Email, MMS, MobileMe Gallery, Flickr, Facebook, Picasa…
  • Multi-tarefa: este foi propositalmente colocado aqui na área de software, porque já sabemos que ambos iPhone 3GS e Palm Pre possuem 256MB de RAM. Ora, se este último pode rodar múltiplos processos simultaneamente, como explicar a insistência da Apple em só oferecer as tão faladas notificações instantâneas (push)? Eu até aceitaria a ideia de ela ter que aprovar quais poderiam funcionar desta forma, mas o hardware em si já é capaz de lidar com isso.
  • Spotlight na web: a busca do iPhone OS 3.0 é muito boa, mas ela poderia se integrar ao Mobile Safari e realizar pesquisas na web também, mais uma vez à la Palm Pre. Por enquanto o próprio navegador só suporta Google ou Yahoo!, mas seria legal também uma integração com Wikipédia, Twitter, Facebook e afins.
  • Temas: Apple, a gente confia no seu taco quanto a design de produtos e interfaces, mas gosto é que nem braço, eu sempre digo. A ausência de temas é algo que acompanha o OS X tanto no Mac quanto no iPhone, mas no Mac pelo menos desenvolvedores têm a liberdade de lançar softwares para resolver a falta. Algo do tipo, porém, nunca entraria na App Store. Ora, nem um wallpaper dá pra colocar na Home Screen do iPhone! Queremos um sistema mais “pessoal”.
  • Controle da Home Screen via iTunes: mais um que já foi comentado bastante por aqui, e chegou a ganhar até um mockup bem interessante. O tocar e arrastar ícones já melhorou no firmware 3.0, mas poderia ser feito de maneira muito mais simples por uma interface simulada dentro do iTunes, em que desse até mesmo para reordenar páginas inteiras de aplicativos e jogos. Sem falar, é claro, na possibilidade de o usuário poder recuperar sua organização, mesmo depois de um restore completo do aparelho.

. . .

Agora é com vocês. 😀

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Birdfeed e Reportage: mais dois clientes de Twitter interessantes para iPhones/iPods touch

Próximo Artigo

Mac Poster Trilogy: três cartazes sobre o universo Mac

Posts Relacionados