O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

De graça, até injeção na testa! LI

Músicas 20090714Excelente rebote cármico, o de hoje! 😀 Nada melhor do que termos a esperança de, depois da privação, podermos contar com a bonança. Hoje tenho certeza de que essa minha teoria é, afinal de contas, uma boa ideia. 😉

Publicidade

E por falar em boas ideias… quem diria, a iPhone App Store cresce exponecialmente: em nove meses, 1 bilhão de downloads. Três meses depois, 1,5 bilhão. Quanto tempo vai levar pra termos mais apps baixados que pessoas na Terra? 😛

Brincadeira, vamos às músicas de hoje, que não chegam a tanto, mas são várias! 😀

Single of the Week

Owl CityToda semana encontramos uma faixa de um artista ou banda de que gostamos e a trazemos até você, gratuitamente, como nosso Single of the Week. Owl City é o nome artístico de Adam Young, um nativo de Minnesota tintilando faixas oníricas que enveredam por desvios líricos interessantes. “Fireflies” mistura uma atitude parcialmente-nublada-com-chances-de-clarear com uma batida trance-pop. O resultado: uma experiência electro-pop revigorante, otimista. Young tem um toque de Death Cab for Cutie em seu timbre vocal, algo que, quando posto contra uma batida sintetizada, é tão efervescente que poderia colocar Stonehenge nos ares. “Fireflies” aparece no último álbum de Owl City, Ocean Eyes.

Se você gostar da faixa, dê uma conferida no álbum, já disponível exclusivamente na iTunes pelas próximas duas semanas, por apenas US$8. [14 faixas]

[Site oficial | MySpace (só amostras) | Wikipédia]

É sempre bom encontrar alguma coisa nova, fresca, com ares diferentes. Ainda que não soe 100% original, Owl City certamente é algo para ter na coleção e guardar. “Fireflies” (link para a iTS) reflete muito bem o estilo geral deste artista: arranjos techno com cobertura de glacê e jeitão pueril. Ruim? Não, definitivamente, mas meus ouvidos diabéticos agradeceriam se o açúcar fosse racionado. Esse menino tem futuro: todas as faixas dele soam muito bem, coisa rara de se ver; mal posso esperar por um amadurecimento de seu estilo, quem sabe ficando menos adocicado. IMHO: 4/5 Um estilo bonitinho e bom de ouvir, mas doce como o quê.

Discovery Download

Jaimee PaulNosso Discovery Download põe em foco um gênero diferente a cada semana, oferecendo gratuitamente uma faixa que julgamos merecer sua atenção. Nativa da região sul de Illinois, Jaimee Paul cresceu cantando na igreja, onde espantou congregações com seus toques pessoais em hinos clássicos. Em seu mais novo álbum, Paul reinterpreta padrões do jazz, incluindo “Cry Me a River”, originalmente popularizada por Julie London. Feche os olhos e ouça o vocal atemporal, enevoado de Paul mesclar-se a uma orquestração de cordas tranquila e o delicado piano de Beegie Adair.

Se gostar da faixa, dê uma conferida no álbum. [13 faixas por US$10]

[Site oficial | MySpace]

Remember, remember, the fifth of November… Jaimee, você deu azar: pegou uma pessoa que é simplesmente doente por “Cry Me a River” (Wikipédia) na voz da London. O que isso significa? Significa que a _SUA_ “Cry Me a River” (link para a iTS), cheia de afetação e trejeitos fortes demais, nunca vai chegar aos pés da original. Sinto muito, mas quando se aposta na readaptação de clássicos, sempre corre-se o risco de perder. Claro, eclipsada pela gravação original, esta faixa não merece nenhuma atenção: se você já tiver a versão da Julie London (calma, fria e vingativa, quase cruel), nem perca tempo. Se não, é uma boa chance de conhecer esta canção monstro do jazz. Apesar de tudo, eu diria que temos aqui uma pessoa interessante para dar continuidade ao estilo no século XXI, contanto que aprenda a interpretar melhor, pois querer ser uma diva é o primeiro passo para virar uma caricatura (eu imagino que ela faça caretas teatrais toscas enquanto canta). IMHO: 2/5 Jaimee _não é_ a Julie London, mas até que se equilibra mais ou menos bem nos próprios pés.

Canción de la Semana

Natalia LaFourcadeToda semana, encontramos uma faixa de um artista ou banda que está na crista do sucesso e a trazemos até você, gratuitamente, como nossa Canción de la Semana. Semana passada mostramos gratidão pelos esforços de Natalia LaFourcade quando destacamos seu novo trabalho com Los Amigos Invisibles. Esta semana, avançamos um pouquinho mais com nosso amor e pusemos em evidência uma faixa de seu novo álbum, Hu Hu Hu. “Ella Es Bonita” é uma fatia brilhante de pop ensolarado na qual a Srta. LaFourcade dá um passo à frente como uma cantora de nouveau folk com uma queda por cornetas e disco-pop orgânico. Num mundo perfeito, passaríamos nossos fins de semana na floresta, brincando ao som de músicas como esta.

Se você gostar da faixa, dê uma conferida no álbum. [13 faixas por US$10]

[Site oficial | MySpace | Wikipédia]

Que fumada foi essa? “Passar os fins de semana na floresta brincando ao som de músicas como esta”? Uau… Tudo bem, a Natalia anda com uma versão perdida do Mac OS X na cabeça. Apesar de tudo, palmas para a iniciativa de apoiar este trabalho solo da garota, que por sinal merece mesmo este destaque: “Ella Es Bonita” (link para a iTS) soa como uma espécie de Lenka (lembra dela?) latina. Em outras palavras, é singela, fofinha, bem pop e cheia de potencial. Claro, a Natalia tem uma vertente folk bastante óbvia, o que lhe confere ares mais selvagens — nada a ver com o gato na cabeça. IMHO: 3/5 Seguindo uma linha meio “wild child”, esta faixa é para quem quer desbravar fronteiras bucólicas.

Video of the Week

Charm City DevilsNuma indústria lotada de tendências, ondas, modas e histórias meteóricas de sabores genéricos “aqui hoje, amanhã já era” todo mês, a única coisa que permanece constante é a necessidade e amor por um rock ‘n’ roll puro, clássico e hard.

[Adaptado da biografia da banda, no site oficial.]

[Site oficial | MySpace | Wikipédia (stub)]

Ontem foi o Dia Internacional do Rock! (O porquê da data, aqui.) Amém, amigo, pois este vídeo é sangue puro, com direito a show (literalmente) underground e vocalista com cara passada, que aparenta ser um sobrevivente da década de 80 (completamente trash). 😛 Tudo é bem montado, deliberado, mas pelo menos o som é legal. “Let’s Rock n’ Roll (Endless Road)” (link para a iTS) é bem à moda antiga e o visual decadente/industrial combina muito com filmes de ação antigos. No fim das contas, vale conferir. Se alguém puder, me explique só o fade out do fim. Odeio fade outs! IMHO: 3/5 Pra quem gosta do estilo, certamente é uma excelente pedida.

Video of the Week

Brooke WhiteDepois de ser encorajada por seu antigo agente, Tim Simms, Brooke White apresentou-se para o American Idol na Filadélfia e recebeu comentários positivos de todos os juízes. Após apresentar “Beautiful”, de Carole King, cantando e tocando piano, os juízes foram rápidos para destacar sua semelhança com uma Carly Simon mais jovem, ou com a própria Carole King.

[Adaptado do artigo sobre a cantora, na Wikipédia.]

[Site oficial | MySpace | Wikipédia]

Você se considera um saudosista? Num tempo em que o iPod já praticamente saturou o mercado norte-americano e a China provê PMPs populares o bastante para só ouvirmos o que quisermos, quando quisermos, a Brooke vem com uma canção chamada “Radio Radio” (link para a iTS). À primeira vista, não é uma música de arrepiar (meu, a cantora saiu do American Idol) e o vídeo é quase doméstico, de tão simples. Contudo, eu recomendo o download por um simples motivo: é uma faixa excelente de ouvir com imagens perfeitas para ver quando se está pra baixo. Vai por mim, quando você estiver na fossa e precisar se levantar pra terminar um relatório do trabalho ou a sua monografia, artistas como Kari Kimmel, Delta Goodrem e Brooke White são um porto seguro, ainda que não sejam marcos para a música mundial nem entulhem Grammies no armário da cozinha. Então vamos embarcar num tempo em que as rádios ainda tocavam música boa! (Hoje a maioria parece só ter propagandas, apresentadores incômodos e as mesmas músicas da novela das oito — ou, aqui em Fortaleza, forró barato.) IMHO: 4/5 Baixe e (literalmente) seja feliz!

. . .

Boas pedidas! Eu acho que esta semana foi bem legal, ainda que não tenha sido excelente. Para completar, recomendo DEMAIS o download do audiobook FREE: The future of a radical price, que está… de graça! Ele é assinado por Chris Anderson, o mesmo autor de A Cauda Longa, e certamente trará duas gotas de cultura muito legais: 1. bons motivos para algumas coisas se tornarem gratuitas no mercado atual, e 2. uma prática maravilhosa para o seu inglês! O único porém é que é um arquivo-mamute, com 190MB — nada de uma faixa por capítulo, mas pelo menos o iTunes sempre lembra onde você parou. Espero… :-S

Antes de ir, quero deixar uma pergunta: de todas as canções e vídeos que foram abordados nestes 51 posts (e um EXTRA), você tem algum favorito? Foram umas 200 faixas e vídeos, perto de 3GB de material, no total. Compartilhe com a gente nos comentários e até semana que vem! 😉

Caso você não tenha uma conta na iTS norte-americana, leia este post. As músicas da iTS aqui comentadas só podem ser adquiridas gratuitamente até 20 de julho, portanto não durma no ponto!

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Comparativo rápido de fones de ouvido: Atrio M3 vs. Apple In-Ear Headphones (atuais e antigos, sem microfone)

Próximo Artigo

Apple garante patente para seu trackpad multi-touch

Posts Relacionados