O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Benchmarks da Macworld mostram que não há tanta diferença entre novos iMacs e Macs Pro

Além da Bare Feats, a revista Macworld também conduziu testes de benchmark com a nova geração de iMacs quad-core, lançada pela Apple no mês passado. Junto deles, foram incluídos ainda o modelo anterior de 24 polegadas (2,66GHz) e os Macs Pro com quatro (2,66GHz) e oito núcleos (2,26GHz), provando que a Apple conseguiu derrubar de vez o espaço vazio de oferta de máquinas entre seus computadores comerciais e profissionais.

Publicidade

Benchmarks da Macworld para iMacs quad-core

O resultado dos testes mostrou que os novos iMacs quad-core, equipados com 4GB de RAM, superam até os dois modelos de entrada do Mac Pro (!) em várias tarefas, incluindo jogos, operações com arquivos e manipulação de áudio/vídeo. É possível dizer que eles se deram bem pelo fato de conseguirem dar saltos grandes em frequência de operação do processador, pois tarefas que expõem o poder dos múltiplos núcleos — incluindo vários benchmarks agregados — deram vitória aos desktops profissionais da Apple.

Ainda assim, os dois iMacs quad-core foram os melhores na pontuação geral da Macworld, marcando 209 (Core i5, 2,66GHz) e 225 pontos (Core i7, 2,8GHz). Ou seja, dependendo das tarefas executadas, pela primeira vez os usuários possuem muito mais motivos para adquiri-los, desconsiderando preocupações com a sua performance geral quando comparados com Macs Pro.

Vale lembrar ainda que considerar um iMac se tornou algo muito mais tentador: enquanto o modelo Core i7 custa US$2.200, o Mac Pro mais barato (e o que menos pontuou entre os dois) custa US$2.500. E todos os desktops all-in-one da Apple agora vêm acompanhados de monitores incríveis, ou seja, um artista gráfico ou profissional do ramo audiovisual não possui escolha de compra melhor.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
iPhone com jailbreak (corrente)

Acusação de caso judicial relacionado a jailbreaking quer o código-fonte do iPhone OS 1.1.1

Próximo Artigo

Um computador com uma "pequena" diferença: conheça o litl

Posts Relacionados