Competitividade entre Google e Apple já se tornou “pessoal”, segundo o The New York Times

Logo do Google numa maçã (Apple)

Em meio a tantos relatos da rivalidade entre Google e Apple que apareceram nos últimos meses, só faltava o The New York Times para começar a correr atrás de informações do Vale do Silício e colocar mais lenha nessa fogueira. De acordo com investidores e funcionários das duas empresas, a atual competitividade que existe entre elas em algumas áreas — como plataformas móveis, browsers e, futuramente, sistemas operacionais — está alimentando um forte clima de inimizade e ambição.

Publicidade

No que diz respeito à Apple, talvez o Android seja a maior das suas preocupações, até porque Steve Jobs já deu motivos de sobra para mostrar que está incomodado com o crescimento da plataforma, concorrente do iPhone OS. Aos poucos, estão surgindo no mercado aparelhos com o sistema do Google que oferecem cada vez mais recursos equivalentes aos do iPhone, sendo o suporte a multi-touch o último adicionado pela gigante de buscas antes de a Apple abrir um processo inesperado contra a HTC.

Tal processo se mostrou como um ataque direto ao Android (que foi respondido, de certa forma, pela gigante de buscas), envolvendo diversos aparelhos e clamando sanções para os usos indevidos de propriedade intelectual registrada em várias patentes da Apple. De acordo com o NYTimes.com, o caso seria uma forma de representar o quanto a Apple se sente “traída” pelo Google devido ao longo e produtivo relacionamento que tiveram, mas a instabilidade que existiria entre as duas empresas pode estar bem além do ramo de dispositivos móveis.

Publicidade

Com a iniciativa de oferecer produtos e serviços semelhantes para seus clientes, Apple e Google também despertaram interesse por empresas e funcionários em áreas similares, abocanhando, respectivamente, Quattro Wireless e AdMob para publicidade móvel. Além disso, ainda na manhã de hoje, confirmamos a contratação de um funcionário do Google com admiração por Macs e envolvimento no seu serviço Music Search (que pode ser útil para quem adquiriu um site como o Lala) pela Apple, enquanto a gigante de buscas fechou contrato com um engenheiro que afirmou estar “animado para competir” contra a potencial rival do Android.

É difícil prever o que as duas empresas farão no futuro para manter essa rivalidade fora de comentários públicos diretos, mas, da parte da Apple, acredita-se que a sua dependência por serviços do Google diminuirá bastante. Rumores apontam para a substituição do seu buscador pelo Bing em todos os seus produtos no futuro, bem como a adoção de novas tecnologias de mapas provenientes de uma das suas últimas aquisições, a Placebase.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…