O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Gerente de produtos do Photoshop comenta comportamento da Apple na aprovação de apps

Logo da Apple e ícone do Adobe Flash Player

Logo após a Adobe colocar no ar a sua campanha publicitária de “amor” pela Apple, o gerente de produto da empresa para o Photoshop, John Nack, publicou a sua visão geral de como ele vê a conduta com relação ao que pode ou não funcionar no iPhone OS. Nack não é totalmente contra o posicionamento atual da Maçã em relação ao Flash (e não acredita que o atrito entre sua empresa e a Apple seja causado apenas por isso), mas se preocupa com o quanto a situação atual pode não ser benéfica para usuários em geral.

Publicidade

Logo da Apple e ícone do Adobe Flash Player

Nack está certo ao dizer que as atitudes da Apple nem sempre maximizam inovação e benefícios definitivos para os usuários, mas não por causa do Flash, e sim de como a empresa julga o que é certo ou não para seus produtos móveis — algo que, no caso da App Store, vem após o processo de desenvolvimento. Depois de oito anos cuidando do Photoshop — ou seja, ele não é exatamente o culpado pelo fato de o aplicativo não ter migrado totalmente para o Mac OS X logo no seu início —, Nack foi promovido para cuidar do projeto dos próximos aplicativos da Adobe, mas não sabe como a Apple reagirá a isso no iPhone OS.

Um dos projetos cogitados pela Adobe para o iPad é uma versão do Lightroom, aplicativo de edição não-destrutiva de fotos, respeitadíssimo no mercado profissional, que ela criou com total afinidade com o atual Mac OS X. Só que a forma como a Apple encara competitividade em relação aos seus produtos ofusca o interesse da Adobe de mandar bala em algo do tipo. “Eu quero construir os melhores aplicativos de imagem para iPads que o mundo já viu. Mas serei permitido a fazer isso?”, indagou Nack.

Novamente: o que está preocupando Nack neste sentido não é o fato de o Lightroom usar Flash, mas sim de a Apple repetir a sua conduta com o plugin para dar prioridade ao Aperture — não sejamos hipócritas, isso pode acontecer. Só que a conduta atual de trabalho da Adobe exige um comprometimento por parte da Apple, contrariando a falta de apoio que ela teve do mercado de softwares profissionais ao popularizar o Mac OS X, no início do século.

Publicidade

Além disso, o gerente da Adobe disse em seu artigo que a Apple deveria deixar as soluções dela terem sucesso ou falharem com base na opinião pública e seus próprios méritos. O problema é que o iPhone OS não dá sinais de que terá alguém além da sua criadora para determinar o que pode ser prejudicial ou não.

Publicidade

Quanto a isso, outro John — o Gruber — fez uma colocação importante em seu blog Daring Fireball: se a Adobe acha que o Flash pode ser tão bom para a web em dispositivos móveis, ela ainda pode provar isso tornando-o melhor em outros sistemas — incluindo o Mac OS X como desktop e o Android para smartphones. Isso pode não estar relacionado com o Lightroom à primeira vista, mas é um ponto em que Adobe pode pensar bastante por ter um produto tão bom em mãos: se algo é adorado por usuários de Mac, o que o impede de ser um sucesso no iPad?

Taí uma pergunta que seus fundadores não pensaram em responder, pelo jeito.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Ícone do iMoto Intercom

iMoto Intercom permite a comunicação entre motoqueiros que tenham iPhones/iPods touch

Próximo Artigo
Logo do Quix

Conheça o Quix, um superbookmarklet para o seu navegador

Posts Relacionados