O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Inacreditável: Steve Jobs batendo boca via email com Ryan Tate, editor da Gawker

Steve Jobs apontando o dedo

Por essa, eu não esperava. Revoltado com o último comercial do iPad, Ryan Tate, editor da Gawker (empresa dona do Gizmodo), não quis deixar barato e fez o que todas as pessoas que discordam das decisões de um CEO fazem atualmente: escreveu um post num blog email para o próprio Steve Jobs.

Publicidade

Steve Jobs apontando o dedo

A mensagem inicial e a resposta, você confere abaixo:

Ryan: Se Dylan tivesse 20 anos de idade hoje, como você acha que ele se sentiria em relação à sua companhia? Ele acharia que o iPad tem qualquer coisa a ver com uma “revolução”? Revoluções tratam de liberdade.

Steve: Yep, liberdade de programas que roubam informações privadas. Liberdade de programas que detonam sua bateria. Liberdade da pornografia. Yep, liberdade. Os tempos estão mudando e algumas pessoas do PC tradicional sentem que o mundo delas está sumindo. E ele está.

Jobs foi muito infeliz em sua resposta: se ele tivesse usado um dicionário, poderia ter dito apenas “Revoluções significam MUDANÇA. Educate yourself.” 😛 Mas ele escreveu “Freedom from porn” e Ryan fez um estardalhaço imenso num post, considerando a declaração Orwelliana.

Publicidade

Ora, quem quer “liberdade” de uma coisa boa? Pornografia pode ser, sim, boa e saudável para adultos. Mas eu devo dizer que aprecio essa ideia de “liberdade da pornografia” quando estou passando por uma banca de revistas e todo tipo de publicação adulta fica exposta em destaque — e nem toda capa é como as da Playboy, que trazem poses sensuais, mas (normalmente) de bom gosto e contidas. O mesmo princípio vale para a internet: quem nunca entrou numa página (ou no email) e ficou constrangido com as propagandas que apareceram?

Mas, enfim, nada melhor que usar maliciosamente as palavras de alguém. Só que a troca de emails não ficou por aí.

Ryan escreveu uma nova mensagem, à qual Jobs respondeu, e esse pingue-pongue se repetiu ao longo de uma hora. No decorrer da conversa, o editor da Gawker lançou farpas e escreveu uma porção de F-bombs. O assunto gravitou inicialmente em torno das restrições quanto ao desenvolvimento de apps, a viabilidade do Flash no iPad e a defesa da pornografia. Steve respondeu sustentando que ninguém é forçado a desenvolver para iPad, que o assunto da pornografia é bem mais sério para quem tem filhos e que Ryan estaria “amargurado” com um aspecto técnico, e não com liberdade.

Publicidade

Na réplica, o editor disse que as decisões da Maçã são vingativas e que não haveria motivação técnica, apenas o desejo de impor conceitos de moralidade a respeito de pornografia, “segredos industriais” e pureza técnica da forma mais bizarra. Ryan apontou ainda a época em que a Microsoft empurrou a API Win32 para cima de todos, mas o argumento mais inteligente apresentado foi alegar que a Apple usa compiladores para criar seus próprios programas, inclusive o iTunes para Windows — touché. “Qualquer um que já gastou algum tempo criando códigos sabe da força e importância de APIs intermediárias”, completou.

Claro que a discussão não podia terminar sem Ryan falar que “a polícia de estimação da Apple” andou “chutando a porta” de um colega de trabalho seu. Eu diria que acusar abertamente a REACT de ser subordinada à Apple é uma declaração pública insalubre, quando não se tem provas, mas o jurídico da Gawker deve apreciar esse tipo de coisa.

Publicidade

Enfim, a resposta final de Steve foi a seguinte:

Você está tão mal informado. Ninguém chutou a porta de ninguém. Você está dando crédito a um monte de relatos errôneos de blogueiros.

A Microsoft tinha (tem) todo o direito de forçar a implementação de quaisquer regras que desejar para a plataforma dela. Se as pessoas não gostarem, elas podem escrever para outra plataforma, o que algumas fizeram. Ou podem comprar outra plataforma, o que algumas fizeram.

Quanto a nós, estamos apenas fazendo o que podemos para tentar e fazer (e manter) a experiência de usuário a que visamos. Você pode discordar, mas nossas motivações são puras.

Por falar nisso, o que você fez que é tão relevante? Você cria alguma coisa, ou apenas critica o trabalho alheio, menosprezando as motivações dos outros?

Quem diria que Steven Paul Jobs bate boca via email? Pois é, ele é apenas humano e também engole flamebaits, como qualquer um de nós.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
ProPrompter HDi, teleprompter para iPad

ProPrompter HDi oferece teleprompter com suporte para iPad

Próximo Artigo

Halex bodejando: aqui, eu ataco a Apple e defendo a Adobe

Posts Relacionados