O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple decide acabar com farra de reservas de nomes para apps, mas pode gerar dano colateral

Logo da App Store

Uma prática conhecida como “name squatting” é notória em relação a URLs: basta surgir um boato que, digamos, a Apple vai lançar o iWhatever, que logo alguém corre e registra o domínio iwhatever.com para depois vendê-lo por uma quantia alta. Isso passou a acontecer também com apps, pois qualquer pessoa com US$100 para torrar por ano podia reservar um nome indefinidamente, sem jamais enviar um binário para a App Store. Destaque para a palavra “podia”.

Publicidade

Email para evitar name squatting

Uma das muitas mudanças que ocorreram nesta quinta-feira foi o a entrada em vigor de uma restrição para evitar que desenvolvedores inescrupulosos reservem nomes de apps sem intenção de publicá-los de fato. A imagem acima mostra um email (nomes fictícios) que está sendo enviado para desenvolvedores com apps registrados em etapas preliminares de publicação por mais de 90 dias. O aviso dá um prazo de 30 dias até que algum binário seja enviado para aprovação, ou então o nome escolhido ficará disponível para outros desenvolvedores.

A intenção é louvável, mas há dois problemas nesta solução. Um deles é que o desenvolvedor malicioso pode simplesmente mandar um binário qualquer para aprovação e, sendo ele rejeitado, o prazo seria reiniciado… ou não? É complicado. Outra dor de cabeça é o fato de um app complexo, que precise de mais de 120 dias para ser finalizado, não ter nenhuma garantia de reserva de nome até estar perto de ser concluído — a não ser que a Apple aceite abrir exceções para projetos em andamento.

Publicidade

A mudança é bem-vinda, mas, como toda novidade, talvez precise de uma sintonia fina antes de ser considerada ideal.

[via TechCrunch]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Cabo MagSafe vendido pela Sanho

Apple abre processo contra Sanho, fabricante de baterias HyperMac, por infração de patentes

Próximo Artigo
Case Linq para iPod nano - Incipio

Incipio anuncia Linq, uma case que transforma o iPod nano 6G em iWatch

Posts Relacionados