Rapidinhas do MM: palpites outubrinos, parceiros inusitados, leitura no iPad e mais

Periodicamente, reunimos nas Rapidinhas do MM tópicos sucintos com assuntos menos relevantes, que não achamos significantes o suficiente para virarem artigos completos por aqui, mas que podem interessar a muitos de vocês.

Publicidade

Eis a nossa seleção de hoje. 😉

  • Finalmente [talvez] o MacBook Air será atualizado [ou não] (T-GAAP): não é preciso ser vidente para saber que a Apple ainda tem um evento pra acontecer este ano, e ele será totalmente focado no Mac. O palpite aqui é que o MacBook Air finalmente será renovado, sabe lá Deus com que tipo de recurso para nos fazer desejá-lo. Um convite da Apple deverá ser disparado para a mídia nas próximas semanas, aguarde.
  • Nova beta do Google Analytics Mobile SDK compatível com iOS 4 (GA Blog): com a flexibilização das restrições da Apple à sua plataforma móvel, o Google disponibilizou ferramentas para desenvolvedores poderem avaliar padrões de uso dentro de seus apps. Isso servirá, por exemplo, para acompanhar que botões, ferramentas ou seções do app são mais populares entre os usuários. A versão 0.8 do Google Analytics Mobile SDK pode ser baixada aqui.
Ícone do iBooks Ícone do nook
  • Walt Mossberg experimenta apps de leitura no iPad, chegando a um veredito diplomático (AllThingsD): numa análise focada exclusivamente em software rodando na tablet da Apple, Mossberg testou o iBooks, o Kindle e o nook como opções de leitura no iPad. Sua conclusão foi bem diplomática, não elegendo um vencedor, mas destacando as vantagens de cada um. O iBooks é o mais bonito e prático (por conter em si uma loja), mas é o que tem menos títulos à disposição; o Kindle supre essa deficiência e oferece sincronismo entre diversas plataformas, mas oferece deficiências na usabilidade e no visual de alguns títulos; o nook, por sua vez, é o único a permitir empréstimos de obras para amigos, apesar de ter algumas falhas básicas e problemas de performance.
  • Electronic Arts está pronta para abraçar o Android, mas sente falta de uma App Store (Engadget): parece que o Android Market simplesmente não é a mesma coisa, segundo uma declaração de Eric Brown, CFO da produtora de games. Só pra constar, a Gameloft também não é muito fã da loja de aplicativos do Google, então deve haver algo errado na estratégia do robozinho verde. :-/
  • App oficial do Facebook para iPad está a caminho (Silicon Alley Insider): pelo menos foi o disse Cyril Moutran, desenvolvedor do app não oficial para acessar esta rede social no iPad, o Friendly. Moutran teria conversado com pessoas dentro do Facebook e insinuou que a chegada de um app oficial pode estar a alguns meses de ocorrer. Como um aplicativo assinado por Mark Zuckerberg certamente será gratuito, enquanto isso o Friendly se vale do vácuo deixado para lucrar US$1 de cada vez.
  • App da Consumer Reports é tudo, menos recomendável (TUAW): oh, a ironia! Apesar de dizer que uma das principais condições para aprovar um aplicativo na App Store é ele funcionar sem travamentos ou crashes, a Apple deve ter deixado a última atualização do News & Videos from Consumer Reports [gratuito; 1,5MB; requer iOS 4.0 ou superior] passar só pra ver o circo pegar fogo. O resultado é que ele já tem 88 avaliações de uma estrela, simplesmente porque ele encerra abruptamente quando um usuário seleciona a aba “Electronics”. Hora do “CosumerReportogate”?
  • DataViz ratifica seu comprometimento com o iOS (Macworld): apesar de muitas das suas propriedades terem sido adquiridas pela Research In Motion, a desenvolvedora da suíte Documents To Go para iOS reforçou seu compromisso com a plataforma da Apple, além de ter liberado updates significativos para seus apps. “Na verdade, lançaremos várias novas versões do Documents To Go nas próximas semanas, e vocês também podem esperar por novas ofertas nossas no futuro”, disse Wesley Hamnett, coordenador de marketing e canais da DataViz.
  • Estudante de jornalismo sem noção *supostamente* levou uma rabissaca de Steve Jobs via email (Valleywag): para Chelsea Isaacs, de 22 anos, é dever do departamento de relações públicas da Apple responder às perguntas dela rapidamente para seu trabalho da faculdade ser entregue no prazo. Por não ter recebido nenhum retorno, ela apelou a Jobs e seguiu-se um suposto bate-boca entre estudante enfezadinha e CEO, o qual culminou com um “Por favor, nos deixe em paz” escrito por El Joboso. Dados o teor das mensagens, a publicação que veiculou isto e o quanto esses emails “verdadeiros” já deram de rebu, eu digo que é bogus. Mesmo que não fosse, essa menina merecia mesmo levar um fora. Cá pra nós, quanto será que a Gawker pagou por essas mensagens?…

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…