O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

MacMagazine conversa com a Transform sobre disputa judicial da marca iPad no Brasil

A Apple poderá de fato enfrentar dificuldades com a chegada do iPad ao Brasil, porque a Transform Tecnologia de Ponta não está satisfeita com a violação da sua marca — registrada no país em 2007.
I-PAD, desfibrilador da Transform

No começo da tarde, noticiamos que a Apple poderá de fato enfrentar dificuldades com a chegada do iPad ao Brasil, porque a Transform Tecnologia de Ponta, distribuidora nacional do desfibrilador cardíaco I-PAD (fabricado pela sul-coreana CU Medical Systems), não está satisfeita com a violação da sua marca — registrada no país em 2007.

Publicidade

I-PAD, desfibrilador da Transform

Conversamos há pouco diretamente com o Professor Doutor Newton Silveira, da Newton Silveira, Wilson Silveira e Associados – Advogados, que representa a Transform nesta ação contra a entrada do iPad no Brasil.

Segundo Silveira, foi realizada ontem à noite uma busca e apreensão na loja da Fast Shop do Shopping Iguatemi, em São Paulo. Esta foi a primeira ação prática do processo, porém ainda é “preparatória”. A ação principal será aberta em breve e já está com todas as suas provas prontas.

Publicidade

A Transform acredita que a Apple está cometendo um delito ao trazer para o mercado brasileiro um produto cuja marca já está registrada no país, mas seu alvo serão os distribuidores e as revendas, pois “eles são os reais responsáveis pelos prejuízos” causados à empresa. Silveira caracterizou a ação como “mais eficiente”, desta maneira, em vez de envolver a Apple dos Estados Unidos.

A Fast Shop foi escolhida como alvo inicial por ser uma das grandes, mas a Transform irá atrás de todas as envolvidas, individualmente. Segundo ela, a sua marca “I-PAD” cobre de forma exclusiva toda a classe de produtos eletrônicos, o que engloba o iPad e, portanto, torna a sua comercialização ilegal no país.

Publicidade

“A Transform poderia não ter produto nenhum no mercado, mas detém os direitos da marca e já fez oposição à tentativa de registro da Apple no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)”, declarou Silveira. O representante legal da companhia afirma que sua intenção é “garantir os direitos da marca”, visto que ela não tem nada contra a Apple e o produto iPad propriamente ditos. “Se no futuro a Transform quiser se aventurar no segmento de ebooks, tablets ou o que quer que seja, ela detém os direitos dessa marca no país”, concluiu o advogado.

Não sou especialista no assunto para afirmar se os argumentos da Transform são totalmente válidos, mas, considerando que sim, imagino que a situação virá a ser resolvida num futuro breve a partir de um acordo financeiro confidencial com o dedo (e bolso) da Apple. A empresa tem total conhecimento do produto comercializado pela Transform e certamente está se preparando para essa disputa já há alguns meses.

Veremos como a coisa se desenrola.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Logo da China Unicom

Restrições da China Unicom aos compradores de iPhones despertam interesse do governo

Próximo Artigo
Pilha de jornais

The Guardian anuncia que seu app trará assinaturas; grandes editoras e Apple ainda não chegaram a um acordo

Posts Relacionados