Reportagem especial fala das “prisões” da Foxconn, mostra imagens dos trabalhadores

Trabalhadores na Foxconn

Em um texto intitulado “Por que eu não quero um iPhone de Natal”, Jordan Pouille mostra um pouco da realidade que os trabalhadores da Foxconn (em grande maioria jovens com 20 e poucos anos) enfrentam para que o mundo todo se maravilhe com produtos de empresas como Apple, Nokia, Sony, etc.

Publicidade

O tom que Pouille usa é acusador, a Foxconn é chamada de “prisão high tech” e toda a reportagem, do título ao rodapé, é um claro protesto contra as condições de trabalho. Mas… existe alguma forma de falar desse assunto sem soar cretino ou hipócrita?

Para criticar a maior fabricante de produtos eletrônicos do mundo sem ser incoerente é preciso viver como um pastor de cabras, praticamente: quase tudo o que usamos no ocidente é Made in China (referências a “Apple” e “iPhone” são, basicamente, link-bait), e muitas vezes em indústrias que fazem a Foxconn parecer a Disney World. Defendê-la, por outro lado, soa como algo horrível, pois melhores condições de trabalho são algo a que sempre devemos aspirar. Só que, para as condições de trabalho na China ficarem iguais às da Suíça, vai ser preciso o Ocidente inteiro meter a mão no bolso e pagar (caro) pelas melhorias — reportagens inflamadas não vão bastar.

Publicidade

Como sair dessa sinuca de bico?

[via Fortune Tech]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…