O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Greenpeace ataca Apple por causa de dependência de “energia suja” em data centers

Estudo do Greenpeace

Estudo do Greenpeace“O quão sujos são os seus dados?” é o nome do mais recente estudo do Greenpeace a respeito das infraestruturas de computação na nuvem fornecidas por grandes empresas de tecnologia, incluindo Microsoft, Google, Facebook, Twitter e agora também Apple, que abrirá seu segundo (e gigantesco) data center neste ano. Mais precisamente, o foco dos ativistas está em como essas e outras companhias utilizam recursos naturais para manter suas grandes instalações de armazenamento funcionando em esquema 24/7 — o que certamente não é pouco.

Publicidade

Estima-se que data centers estejam aumentando sua demanda global por eletricidade a uma taxa de 12% ao ano, consumindo atualmente entre 1% e 2% do que é produzido no planeta. Parece pouco, mas nos números individuais de cada grande empresa que os operam, a Apple está em uma péssima situação: na área escolhida para sediar a sua maior instalação de computação na nuvem já construída, menos de 5% da energia utilizada virá de fontes consideradas limpas, como a solar ou a eólica. O resto vem das duas fontes mais “sujas”: carvão e combustível nuclear, respectivamente.

A dependência desses tipos de energia também é um forte defeito do Facebook, que obtém de usinas termelétricas mais de 50% da eletricidade necessária para abastecer suas instalações de armazenamento de dados. Yahoo! e Google, por sua vez, também incorrem nesse mesmo erro, mas são as únicas empresas que tentam reduzir ao máximo o uso de energia nuclear — que, apesar de não oferecer riscos diretos à temperatura do planeta, é proveniente de fontes altamente perigosas.

Conforme a dependência de usuários por serviços online aumentar, acredita-se que estes números se tornarão cada vez mais preocupantes. Ao contrário de campanhas mais sensacionalistas, este estudo do Greenpeace evidencia a necessidade de uma estratégia para a construção de data centers que possam operar sem afetar o consumo global de energia — para fins de comparação, a nova instalação da Apple exigirá nada menos do que a eletricidade necessária para alimentar 250 mil casas na Europa.

Publicidade

Visando chegar a esse objetivo, o Google nem está investindo tanto quanto a Apple em computação na nuvem, mas sim em áreas de geração de energia eólica que poderão balancear o consumo de eletricidade em suas futuras instalações. Tal iniciativa possui o aval do governo norte-americano, que também está trabalhando pesado na montgem de painéis solares em algumas áreas dos Estados Unidos que poderão, no futuro, se tornar data centers.

[via Guardian]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Ícone do Google Maps no iPhone

Mais especialistas em segurança opinam sobre o registro de localização do iOS: "E daí?" [atualizado]

Próximo Artigo
Apple vs. Nokia

Apple supera Nokia e é agora a maior fabricante de celulares do mundo em faturamento

Posts Relacionados