O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Para analista, Intel deveria produzir processadores usados pela Apple em iGadgets

Intel Atom

Intel AtomPara algumas gigantes de tecnologia, acompanhar a mudança de foco do mercado tecnológico para dispositivos móveis não tem sido tão animador quanto poderia. Talvez a Intel seja o melhor exemplo de empresa nessa situação: a sua atuação com a plataforma Atom não emplacou da forma que deveria, especialmente para conter a pletora de aparelhos (inclusive os da Apple) com diferentes tipos de processadores baseados em designs da ARM.

Publicidade

Atualmente, a situação da Chipzilla pode ser muito bem resumida com uma frase dita hoje por Gus Richard a investidores da Piper Jaffray. “A Intel não possui market share na próxima onda da computação”, comentou ele, reforçando em seguida que ela deveria considerar a fabricação de processadores para gadgets da Apple rodando o iOS.

A ideia, no entanto, vai contra o que a Maçã tem praticado. Nem mesmo o Apple TV, que nas suas primeiras gerações foi baseado em hardware Intel, escapou de uma transição para o A4, chip desenvolvido por engenheiros de hardware da própria turma de Steve Jobs. Com essa iniciativa, ela tem economizado muito em relação a investir nos processadores da linha Atom, pois só precisa pagar pela montagem das suas CPUs — tarefa até então delegada à Samsung, mas que deverá passar para a TSMC ainda neste ano.

Ao que tudo indica, uma das últimas oportunidades da Intel de emplacar em sistemas móveis e gadgets está nas mãos da Microsoft, que vem desenvolvendo uma versão do Windows para hardware baseado em SoCs (systems on a chip) como o Atom. Porém, ele deverá competir pela atenção de fabricantes com a ARM, assim como as coisas já são no atual mercado de handsets. Dá para imaginar quem vai ganhar a briga (de novo)?

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Apps no BlackBerry

Research In Motion revela solução corporativa de comunicações para iOS e Android

Próximo Artigo

Depois de quase quatro anos, Fluid chega à versão 1.0

Posts Relacionados