O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Agora você vê, agora não vê mais: como viver num mundo com barras de rolagem invisíveis?

Janela sem barras de rolagem

E aí, você já está usando o OS X Lion? Uma das grandes novidades do novo sistema operacional, e devo confessar que foi uma das que eu mais festejei, foi uma mudança consideravelmente drástica na interface, inspirada pelo iOS: as barras de rolagem que somem. Menos interface, mais conteúdo — páginas da web ficam lindas sem barras de rolagem gigantes, de um azul brilhante, emoldurando-as.

Publicidade

Só que tem um probleminha. Olhe a imagem abaixo e adivinhe quantos apps eu tenho:

Janela sem barras de rolagem

Não dá pra ver uma janela dessas e saber, só de olhar, que há muito mais conteúdo tanto para cima quanto para baixo — ou para a esquerda/direita. É por isso que, sempre que você troca de janela no Lion, ele mostra todas as barras de rolagem rapidamente e as faz sumir. Eu acho lindo, mas reconheço que muitas pessoas podem sentir falta de uma informação que, por anos e anos, foi simples de coletar em computadores pessoais. Bastava olhar de relance e você já saberia se há mais conteúdo em determinada direção e em que ponto você está, se no começo, no meio ou perto do fim.

Publicidade

Como o progresso é uma coisa fácil de perceber com as barras que somem (basta você se mover um pouco para a indicação aparecer), muitos designers já estão quebrando a cabeça para conceber uma forma de ter o bolo e comê-lo: ninguém quer as barras de rolagem de volta (graças a Deus!), mas também não querem que um usuário pare na primeira tela de um site ou app, pensando que não há mais nada para baixo ou para os lados.

E aí, #comofas?

Jon Whipple propôs o uso de uma bússola nas janelas: uma “rosa dos ventos” com quatro pontos poderia se iluminar conforme houvesse mais conteúdo em cada uma das direções. No exemplo abaixo, a janela tem mais conteúdo à direita e abaixo.

Bússola de rolagem - Jon Whittle

Clique para ver o detalhe.

Publicidade

É uma solução válida, mas eu curti muito mais a proposta de Lukas Mathis: usar uma “página” sob o conteúdo, e as bordas dela indicariam se há mais coisas acessíveis por rolagem. A inspiração para isso veio do Pages: só de olhar pra uma janela dele, você pode ver que o documento não termina na janela, pois as “folhas de papel” são cortadas. Só que, apesar de ser intuitiva e discreta, ela come alguns pixels da tela — quase como barras de rolagem, só que menores.

Página de rolagem - Lukas Mathis

Sem essas soluções, resta mesmo ao usuário tatear as páginas da web e as janelas do Finder, algo que funciona muito bem no iOS (afinal de contas, já estamos com a tela na mão), mas é um pouco deselegante no Mac.

Particularmente, eu prefiro tatear os apps a ser bombardeado por barras de rolagem o tempo todo. Elas estão devidamente desligadas aqui, assim eu posso me concentrar no que interessa: no conteúdo. A interface, eu quero mais que suma — acho que por isso estou me dando tão bem com apps em tela cheia.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Página de login no iCloud.com

Apple estreia nova página de login no iCloud.com [atualizado 10x]

Próximo Artigo
Ícone do Gakufu Camera

Gakufu Camera: um app de OCR que lê e toca partituras pra você

Posts Relacionados