O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Jean-Louis Gassée: saem os canais de TV, entram os apps 2 — A Missão

Apple TV preto de lado

Pra que o Jobs foi falar que tinha resolvido o problema das interfaces das TVs?… *Le Sigh™* Como não se fala de outra coisa no mundo Apple, só nessa maldita televisão, vamos a mais uma opinião sobre o que pode estar por trás das misteriosas palavras de El Joboso, desta vez de Jean-Louis Gassée. Assim como John Gruber, Gassée aposta na transição de canais para apps, mas diverge ao achar que isso justificaria colocar uma tela de 50 polegadas no Apple TV atual.

Publicidade

Graças a Deus, alguém ainda tem bom senso!

Além do mais, eu ainda não vejo uma TV de 50″ saindo de uma Apple Store. Já é difícil o bastante sair um iMac de 27″ — ou entrar, quando dá um problema. E eu não vejo batalhões de equipes de serviço de campo da Apple vindo para nossas casas para consertar essas coisas.

Acima, o grifo é obra do próprio Gassée, e eu não poderia concordar mais: só quem já tentou carregar uma TV grande sabe o quanto é impraticável — achar que um aparelho quase quatro vezes maior é a mesma coisa que um iMac chega a ser piada.

Vale a pena ler a análise completa feita por Gassée (fica aqui o selo “Dica de leitura”), mas ela basicamente mostra o problema da interação com os canais de TV e DVRs, chegando à conclusão de que apps (ou melhor, canapps) são a resposta. Assim como funciona com o iPad, hoje, emissoras poderiam produzir apps e o Apple TV seria capaz de exibir o conteúdo sem esforço nenhum. Você não teria DVR, cabo, Blu-ray, DVD, videogame, nada: só o Apple TV ligado na tela da sua preferência e os apps à disposição.

Apple TV preto de lado

Isso funcionaria, é o tipo de experiência que eu gostaria de ter com uma TV, mas não vai acontecer tão cedo — pelo menos não do jeito “certo”, digamos.

Olhe para o mercado editorial e o que aconteceu com as revistas e jornais no iPad. Você acha que chegamos ao ponto ideal? A quantidade absurda de conteúdo em texto que ainda é transformada em imagens grita, os apps são pesadíssimos, você paga quase sempre o mesmo que por uma edição impressa e é tudo CHEIO de propagandas. Traçando um paralelo, no Apple TV os canais só teriam conteúdo em definição padrão (SD), seriam lotados de comerciais e ainda precisariam de uma tremenda banda larga para funcionar. #JOY

Por que isso? Porque editoras, gravadoras, emissoras e outros dinossauros gordos morrem de medo de mudança. Hoje, colocar um app no iPad já é difícil o bastante, e olha que o gadget tem uma tela só de 10 polegadas, uma bateria limitada e mesmo com AirPlay ainda é uma proposição trabalhosa demais para quem só quer sentar na frente do Espelho de Galadriel e deixar o cérebro no modo vegetativo. Proponha que o conteúdo vá aparecer fácil e nativamente numa televisão de verdade e as emissoras vão ter um chilique: “Nossa publicidade! Os dados pessoais da nossa audiência! O preço para fazer um app! Os 30% da Apple! Não poder explorar sexo e violência! Aprovação! Censura!” é o que vão gritar, do mesmíssimo jeito que as editoras gritaram.

Publicidade

Nisso ainda vai aparecer um Pokémon a mais para infernizar: as provedoras de internet. Percebe que elas muitas vezes oferecem um combo de banda larga e TV a cabo? Você acha que elas vão deixar isso barato, seja literal ou figurativamente? “Assine nosso pacote de TV Mega Premium Plus Cinema Max Combo Web e ganhe internet ilimitada por apenas R$200/mês! Assine só internet e você poderá baixar 1GB por mês por R$175, com o extra de apenas R$30 por megabyte que passar da franquia!”

Como alguém vai usar canapps sem internet ilimitada? Quem vai querer pagar por canapps tendo TV a cabo em casa? “As provedoras de cabo/internet nunca fariam isso”, muita gente pode dizer. Bem, a AT&T num instante acabou com os dados ilimitados nos planos dela, quando iPhones e iPads começaram a sumir das prateleiras. Just sayin’…

Publicidade

Vamos e venhamos, ninguém quer uma TV da Apple: se ela for lançada como os consumidores esperam que ela seja, não vai prestar (vide o carro do Homer Simpson); se ela for lançada para ser verdadeiramente revolucionária, ninguém vai querer (especialmente as pessoas por trás do conteúdo). A solução para isso é exatamente a que a Apple adotou: fazer de tudo um hobby, nada mais, pois a única forma de ganhar num jogo de cartas marcadas é não jogando. Talvez tenha sido isso o que Jobs descobriu — e depois ainda trollou o mundo inteiro.

Quer saber? É melhor assim, afinal de contas TV é uma porcaria. 😛

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Patente de exibição de arquivos - Mirror Worlds

Mirror Worlds ainda não desistiu de processo contra a Apple

Próximo Artigo
Rascunho de planta do primeiro prédio da Apple - Chris Espinosa

Relembrar é viver: veja um rascunho da planta do primeiro prédio da Apple

Posts Relacionados