O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Review: PadPivot, o apoio mais versátil — mas nem tão bacana — para iPads, iPhones e gadgets em geral

PadPivot, suporte para iPad

por Agnaldo S. Martins, do depto. de Oceanografia e Ecologia da UFES

Publicidade

No início do ano, o MacMagazine noticiou uma invenção de suporte para iGadgets que prometia ser “a mais bacana e versátil que já existiu”. Tratava-se do PadPivot, um dock adaptável a iPhones e iPads, bem como outros tipos de celulares e tablets. Me empolguei com a ideia e me tornei um “backer” isto é, um colaborador financeiro e incentivador do projeto no Kickstarter, famoso site de inventores. Colaborei com o valor mínimo — US$25 — para ter direito a um exemplar do produto assim que ele entrasse em produção.

PadPivot, suporte para iPad

Pois bem, depois de mais de seis meses de desenvolvimento, finalmente o PadPivot se tornou um produto comercial e recebi o meu exemplar há algumas semanas. Atualmente ele já é um produto comercial e está à venda na Best Buy, lá fora, por US$30.

Publicidade

A característica mais marcante desse dock é o uso de materiais e componentes pouco comuns a acessórios desse tipo. Um deles é um fundo curvo e anti-derrapante, que permite adaptá-lo à sua perna e usar um iPad ou iPhone sem precisar segurá-lo e sem necessitar de uma mesa ou apoio. Além disso, há uma placa adesiva bastante original onde a traseira do iGadget pode ser aderida e retirada sem perda de aderência e sem deixar restos de marcas pegajosas no equipamento. Por fim, outra característica inédita é o mecanismo que dá nome ao dock: o pivô, isto é, uma haste que sustenta a placa adesiva que gira em torno de um eixo, permitindo ajustar seu smartphone ou tablet em infinitas posições. Ele tem a característica de ser extremamente portátil, já que pode ser desmontado de uma forma que possa ser levado até no bolso. Além disso tudo, ele tem uma abertura para encaixar seu tablet ou smartphone, como muitos docks já possuem.

O vídeo do fabricante mostra bem claramente todas as suas possibilidades:

Publicidade

Agora, vamos às minhas impressões na prática.

O produto vem desmontado dentro de uma simpática sacolinha de tecido com um pequeno manual de instruções ilustrado. O dock curvo principal vem dobrado em duas partes e a haste do pivô vem parafusada na traseira, para que ele fique bem fino. Para colocá-lo para funcionar é preciso montá-lo, processo de pode demorar alguns minutos — dependendo do uso que se pretende fazer. Deve-se desparafusar o pivô, parafusá-lo novamente na parte da frente e, se for fixar a traseira do equipamento na placa adesiva, é preciso retirar a proteção do adesivo (que é reutilizável) e grudar com cuidado, escolhendo a melhor posição.

Para guardar, o processo é semelhante e pode ser mais lento, porque às vezes o adesivo cola muito e é preciso muita força e tempo para retirá-lo. Para piorar, o fabricante recomenda que se lave (isso mesmo) a superfície pegajosa com água corrente toda vez que for usado antes de guardar, para evitar que poeira acumulada diminua o poder de aderência. Depois de tudo isso ainda é necessário achar a película protetora em algum lugar (é muito fácil de perder) e grudar sobre a placa novamente. A dificuldade e lentidão de todo esse processo me tirou o ânimo de usar esse dock extensivamente e aposentar a capa do meu iPad de primeira geração (a original da Apple).

Publicidade

Uma vez em uso, o PadPivot entrega realmente o que promete, graças à sua versatilidade. Você pode ter uma configuração para ver filmes numa mesa (abertura tradicional para encaixar o equipamento na vertical), grudar na placa do pivô para escrever ou navegar numa mesa ou apoio, e o mais legal que é usar no sofá de casa ou num ambiente mais improvisado, colocando-o sobre a perna e ficando de mãos livres. Graças ao pivô, o iGadget pode girar livremente, o que é ótimo para jogos, principalmente os que requerem uso intenso do acelerômetro — como Real Racing e similares.

PadPivot no colo

No início desconfiei da efetividade da placa adesiva, ainda mais por ser reutilizável. Mas após várias “instalações” achei que era confiável o bastante, até para apoiá-lo na perna.

De uma forma geral, achei que os inventores concentraram-se demais na portabilidade e versatilidade durante o seu uso, mas se esqueceram do alto preço que se paga para ter isso no processo de montagem e desmontagem. A meu ver, isso prejudicou bastante a adoção dele como dock principal para o meu iPad, tendo optado por ficar com a capa original como opção de apoio.


✔ PRÓS

  • Preço razoável (há docks bem mais caros e que fazem muito pouco).
  • Versatilidade de uso, inclusive para jogos.
  • Leve e ergonômico, facilitando o transporte.
  • Inovador quanto aos materiais e técnicas de suporte utilizados.
✘ CONTRAS

  • É um acessório a mais que tem se lembrar de levar, ao contrário das Smart Covers e de capas que já estão com o iPad, por exemplo.
  • Não se adapta facilmente a muitos tipos de capas, porque precisa de uma superfície lisa para grudar.
  • O processo de montagem e adaptação do dock ao equipamento, bem como a desmontagem, é muito demorado e pouco prático.
  • Apesar de versátil, não é um acessório fácil de usar, tanto que vem até com manual de instruções.
  • Tem muitas partes móveis, o que facilita que se perca alguma delas, inutilizando-o.
  • Com certeza não é um produto “Apple-like”. Exagera nas “features” em detrimento da usabilidade.

Talvez haja casos que justifiquem o seu uso, mas no meu, as desvantagens pesaram mais do que as vantagens e eu não adotei esse dock no meu dia-a-dia. Hoje, ele fica encostado num canto da minha sala. Espero um dia encontrar alguma utilidade para ele.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Peter Thiel

O iPhone representou um avanço tecnológico? Peter Thiel acha que não

Próximo Artigo

Infográfico: o que é menor que a Apple?

Posts Relacionados