O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Firma de advocacia reúne mais evidências sobre manipulação de preços de ebooks por parte de diversas editoras

Mãos segurando iPad com iBooks aberto

Em agosto do ano passado, a firma de advocacia Hagens Berman abriu uma ação coletiva contra a Apple e cinco das maiores editoras dos Estados Unidos (News Corporation, Hachette, Macmillan, Penguin e Simon & Schuster), acusando-as de manipular ilegalmente os preços de ebooks. Ontem, esse processo foi ampliado por ela.

Publicidade

Mãos segurando iPad com iBooks aberto

Ao que tudo indica, a Hagens Berman conseguiu reunir novas evidências que voltam a comprovar a manipulação conjunta de preços de ebooks por parte das editoras, o que prejudicou o negócio da Amazon.com e contribuiu com o da Apple.

Entre as novidades estão uma suposta reunião entre Arnaud Noury (presidente da Hachette Livre) e um representante da Amazon, citações de outros executivos — incluindo David Young, CEO e presidente do Hatchett Book Group USA, e John Sargent, CEO da Macmillan — e até mesmo informações reveladas por Steve Jobs em sua biografia autorizada, escrita por Walter Isaacson.

Publicidade

Segundo a Hagens Berman, após o lançamento do iPad e do iBooks os preços médios de ebooks subiram 30-50%, alterando drasticamente a competição no segmento. Em alguns casos, os preços chegam próximos ou até correspondem com as versões impressas dos mesmos títulos — o que não faz sentido algum, visto que o modelo digital dispensa vários custos de produção física dos livros.

[via TNW]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Ícone do Our Choice

Histórias de bastidores: Apple pode ter sido a responsável pela venda da Push Pop Press

Próximo Artigo

↪ Ferramenta de jailbreak Absinthe para Mac OS X é atualizada; Windows também ganha sua versão

Posts Relacionados