Confira os destaques do que trouxe a reportagem da ABC sobre as fábricas da Foxconn na China

ABC Nightline na Foxconn

Falamos dessa reportagem da ABC na semana passada, conferimos os primeiros detalhes anteontem e hoje de madrugada tivemos acesso a dois vídeos com pedaços do documentário do programa “Nightline”, pouco antes de ele ser veiculado por completo na televisão americana.

Publicidade

ABC Nightline na Foxconn

Quem estiver nos Estados Unidos pode assistir à matéria completa aqui, e os primeiros 5-6 minutos dela também estão disponíveis para todos no YouTube.

A seguir, compilamos alguns dos destaques que ela trouxe:

Publicidade
  • No geral, empregados trabalham por 12 horas na fábrica, com duas paradas de 1 hora para alimentação (que custa US$0,70). Quem come rápido, aproveita o resto do tempo para tirar um cochilo.
  • O que os empregados mais reclamam é do pouco que recebem pelo trabalho (em média, menos de US$2 por hora), ainda que muitos deles dividam quartos minúsculos com até outras 6-7 pessoas — e ainda pagam cerca de US$17,50 mensais pelo aluguel.
  • Para montar um iPhone, são necessários um total de 141 passos — a maior parte deles, manuais.
  • Para concluir a montagem de um iPad, são necessários 5 dias e 325 pares de mãos.
  • Em dois turnos completos (sim, um dia), a fábrica é capaz de produzir 300.000 módulos de câmera para iPads.
  • Mesmo após o fim da crise de suicídios, a Foxconn continua mantendo redes de segurança em volta de seus prédios.
  • Atualmente, a Foxconn oferece diversas atividades extras para seus empregados, incluindo aulas de inglês e esportes. Também há lan houses lá dentro, para quem quiser usar a internet.
  • Enquanto realizava a sua reportagem, o âncora Bill Weir viu a Foxconn contratar 3.000 pessoas num só dia.

Agora há pouco, noticiamos também que uma ONG afirmou que a Foxconn se preparou previamente para as visitas da Fair Labor Association, “escondendo” trabalhadores menores de idade.

Para esses empregados, não poderia haver nada melhor do que essa atenção toda que a mídia está dando para as condições de trabalho proporcionadas pela Foxconn e por outras gigantes chinesas. A tendência, espero, é que as coisas melhorem bastante por lá.

[via The Verge, TUAW]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…