Presidente da Foxconn diz que brasileiro não trabalha muito [atualizado]

Terry Gou

Terry Gou, presidente da Foxconn, gosta de declarações polêmicas. Recentemente, ele comparou os empregados da Foxconn a animais. Agora, durante um programa de TV em Taiwan, Gou disse que “brasileiro não trabalha tanto assim, pois vive num paraíso”, noticiou o 180graus.

Publicidade

Terry Gou

Longe de mim querer entrar em polêmica, mas, sinceramente, esse discurso não cola mais. Muita coisa da cultura do Brasil me irrita bastante, principalmente a impunidade — que, ao meu ver, é relacionada a todos os outros problemas do país. Agora, falar que brasileiro “não trabalha tanto assim”, não concordo. Vai ver essa é uma visão que depende do referencial, afinal, Gou está na Ásia, onde empregados trabalham 10, 12, 15(!) horas por dia, com apenas um dia de descanso na semana (quando têm) e ganhando uma miséria.

Aqui onde eu moro (França), vejo o contrário: pessoas trabalhando o mínimo possível, país parando porque não concorda com os novos planos de aposentadoria, pessoas “mamando na teta” do governo até não poder mais, entre outras coisas. No Brasil, meu amigo, ou você trabalha, ou morre de fome, porque governo nenhum vai te ajudar — claro, existem os que preferem roubar, mas aí entra a questão da impunidade que comentei, e prefiro nem entrar nesse assunto.

Publicidade

Continuando com as declarações de Gou, o comandande da Foxconn disse ainda que o Brasil oferece “apenas” o mercado local, e que ainda exige transferência de tecnologia. Sim, Gou, nós exigimos transferência de tecnologia porque, até onde eu sei, bancaremos boa parte do valor que precisa ser investido no país para que suas fábricas se instalem aqui. Negócio bom é aquele que todos ganham, né Gou? Não adianta querer tudo pra você!

Ao mesmo tempo que brincou, Gou mostrou-se otimista com o Brasil. Ele disse que o país tem potencial, e ainda perguntou aos jovens do programa quem queria ir para o país.

Quem daqui quer ir ao Brasil? Vocês podem se registrar comigo, sério. Vou lhes dar o meu email.

Só espero que seja para turismo, e não para enfurná-los dentro de dormitórios e forçando trabalho de mais de 10 horas por dia. Pronto, desabafei.

[dica do Alessandro Coelho e do Lucas Andrade]

Atualização

Complementando a notícia acima, Terry Gou prometeu treinar 900 engenheiros brasileiros em Taiwan, a fim de prepará-los para a futura fábrica de telas que deverá ser instalada no Brasil. O treinamento, que deve ser feito em três etapas — cada uma com 300 engenheiros —, vai durar seis meses.

Publicidade

De acordo com analistas, a fábrica de telas da Foxconn exigirá cerca de 3.000 engenheiros. Contudo, engana-se quem acha que as telas serão usadas em tablets e smartphones. A tecnologia em questão foi desenvolvida pela Chimei Innolux, para ser aplicada em televisores.

A presidente Dilma Rousseff acompanha o negócio de perto, já que a ideia é justamente absorver esse tipo de tecnologia, atualmente concentrada em países asiáticos.

Publicidade

Ainda de acordo com a matéria, seis estados disputam para ser o local escolhido da fábrica: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Paraná — o local, em tese, precisa ter um solo livre de oscilações e ter garantias de fornecimento de energia e água pura.

Pelo visto essa fábrica em nada tem a ver com aquela da declaração de Eike Batista.

[via Folha.com]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…