O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Auditorias da Fair Labor Association em instalações das parceiras da Apple colocam outras fabricantes em situação desconfortável

Intervalo para refeição em uma das instalações da Foxconn

Ontem falamos sobre o primeiro relatório da Fair Labor Association, o qual trouxe relatos de diversos problemas dentro das fábricas da Foxconn, parceira da Apple. Ambas estão dispostas a resolvê-los, e farão isso até o início do ano que vem — pelo menos foi o prometido.

Publicidade

Intervalo para refeição em uma das instalações da Foxconn

Intervalo para refeição em uma das instalações da Foxconn.

A mídia como um todo — especialmente os grupos de direitos humanos — reagiu positivamente ao relatório, elogiando a postura da Maçã. O problema, como bem falou o Meg Roggensack, do grupo Human Rights First, é que, sozinha, a Apple não tem como resolver isso [grifo nosso]:

Publicidade
[Esse acordo] vai salvaguardar a saúde e o bem-estar dos empregados da companhia, trazendo condições de trabalho em conformidade com normas básicas de direitos humanos. A chave para o sucesso do relatório, no entanto, será a implementação deste acordo. Falar é fácil. Difícil são os passos necessários para proteger os trabalhadores na cadeia de fornecimento da Apple

Todas as empresas que fazem negócios com a Foxconn, o maior empregador da China, devem tomar medidas imediatas para seguir o exemplo da Apple e insistirem para que as condições de trabalho em cada uma das fábricas da empresa atinja este novo padrão da indústria. As empresas têm a responsabilidade de enfrentar a dura realidade das práticas atuais de produção e devem se comprometer a revertê-las, para que seus produtos sejam — não apenas no aspecto técnico, mas em termos humanos — fantásticos.

Bote nesse bolo Amazon, Dell, Hewlett-Packard (HP), Intel, Microsoft, Motorola, Nokia, Sony e muitas outras. Só que para Paul Martyn, vice-presidente de estratégia de suprimento da BravoSolution, a coisa não é tão simples. Isso porque, se a decisão da Apple incitar algo na concorrência, a margem de lucro dessas empresas terá que diminuir. Obviamente isso também é um problema para a Maçã, contudo, as margens dela são bem altas, e a manufatura representa pouco desse montante. Pegando o iPhone como exemplo, o custo da montagem é de mais ou menos US$10.

Não sabemos se o mesmo acontece com a concorrência, e mais: será que todas estão dispostas a embarcar nessa? Somente o tempo irá dizer.

[via Cult of Mac: 1, 2]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Logo da RIM

RIM protesta contra tática da Apple para tentar aprovar padrão de Nano-SIM; confusão faz a votação ser adiada

Próximo Artigo
Baldur’s Gate: Enhanced Edition para OS X

↪ Baldur’s Gate: Enhanced Edition terá também uma versão para Mac OS X

Posts Relacionados