O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Dica de leitura: Steve Jobs e a regra do número 3

Três logos da Apple com a silhueta de Steve Jobs

Ao escrever a declaração de independência dos Estados Unidos, Thomas Jefferson escolheu três palavras/sentenças as quais se tornaram provavelmente as mais marcantes e influenciadoras da história americana: vida, liberdade e busca da felicidade. O lema da França, por exemplo, é liberté, égalité e fraternité (liberdade, igualdade e fraternidade).

Publicidade

De acordo com estudos, nós (seres humanos) conseguimos memorizar facilmente informações curtas — em caso de números, por exemplo, a quantidade mágica gira em torno de três ou quatro. Em aeroportos americanos, é comum vermos três regras da TSA (Transportation Security Administration): 1. mostre uma identificação de embarque; 2. tire líquidos e notebooks de bolsas; e 3. tire sapatos e jaquetas. Grandes discursos são frequentemente divididos em três temas, peças são divididas em três atos, e a mesma técnica se aplica a apresentações convincentes.

Três logos da Apple com a silhueta de Steve Jobs

Por que estamos falando disso? Pois um velho conhecido nosso utilizava essa técnica muito bem: Steve Jobs. Em quase todas as apresentações do confundador e ex-CEO da Apple, o número mágico estava presente. Quer exemplos? Em 2007, na keynote do iPhone, o produto seria a terceira categoria revolucionada pela Apple (antes foram a de computadores e de músicas). Na mesma apresentação, ele mostraria três “produtos revolucionários” (um iPod, um telefone e um comunicador de internet) — tudo em um único aparelho. 😛

Publicidade

Quando apresentou o iPad, o novo gadget chegou para ser uma terceira categoria, entre o iPhone (smartphones) e MacBooks (notebooks). O número de modelos disponíveis? Três: 16GB, 32GB e 64GB. Já em 2011, o slogan utilizado para enaltecer as qualidades do iPad 2 foram: fino, leve e rápido (thinner, lighter, and faster).

Coincidência? Duvido. Realmente o número 3 é mágico, e não custa prestarmos mais atenção ao uso dele, daqui pra frente. Caso tenha ficado interessado no assunto, não deixe de ler o artigo Carmine Gallo, na Forbes.

Observação: acho que é por isso que o Brasil “ainda não deu certo”. Só temos ordem e progresso na nossa bandeira. Está na hora de encaixar uma terceira palavra ali. 😛

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Miniatura do vídeo do iPhone que entra em combustão

↪ Vídeo: iPhone com três meses de vida entra em combustão no bolso de usuário

Próximo Artigo
Miniatura do Two Dollar Tuesday

Confira as ofertas de hoje do Two Dollar Tuesday!

Posts Relacionados