O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple melhora desempenho em novo estudo do Greenpeace, mas grupo ainda cobra explicações

Logo da Apple "verde"

Quando a Apple divulgou planos de abastecer todos os seus data centers com energia 100% limpa/renovável, o Greenpeace parabenizou a empresa, afirmando que a atitude era um grande sinal de que ela está levando a sério os centenas de milhares de consumidores que clamaram por um iCloud alimentado por energia limpa, e não por carvão sujo.

Publicidade

Estudo do Greenpeace

Apesar dos avanços no estudo do grupo liberado hoje [PDF] — uma bela redução no uso de carvão, por exemplo (de 55,1% para 33,5%) —, ele não se mostrou muito ameno com a firma de Cupertino, clamando mais uma vez por maior transparência, principalmente na divulgação de informações de como a companhia pretende atingir a meta estipulada recentemente. Além disso, mesmo com os avanços, a Maçã continua atrás de Google e Facebook na classificação da organização.

Na Carolina do Norte, a Apple está instalando duas usinas para abastecer seu data center: uma movida a energia solar e outra a biogás. Contudo, essas infraestruturas serão capazes de alimentar 60% do data center, enquanto os outros 40% virão de fontes naturais locais. E é exatamente aqui que está o problema, para o Greenpeace. Um dos motivos pela má posição no ranking é a falta de explicação de onde virá a energia para esses 40% restantes, principalmente porque, segundo eles, a concessionária local tem pouca energia limpa.

Publicidade

Para a organização também não está claro se a Apple vai utilizar a energia das usinas em seu data center, ou se pretende vendê-la para a Duke Energy — neste caso, a Maçã continuaria usando energia suja para abastecer sua instalação, o que na minha humilde opinião não faz o menor sentido. Também faltam informações sobre como a ela quer abastecer 100% do data center de Oregon de uma maneira verde.

Em abril, quando “desceu a lenha” na Maçã, o Greenpeace estimou que o data center da empresa utilizava 100MW, contudo a empresa de Tim Cook rapidamente respondeu, informando que em sua capacidade máxima a instalação consome 20MW. Mesmo assim, o grupo não engoliu os números da Apple, e o novo relatório veio com uma nova estimativa: 80MW. No documento o Greenpeace também sugere algumas atitudes para a Apple, como usar sua influência para cobrar mais energia limpa da Duke Energy, utilizar biogás de fontes sustentáveis e explorar a energia de suas usinas em seu data center.

[via GigaOM]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Ícone - SoundShare

↪ App SoundShare é atualizado para a versão 1.4 e agora fala o nosso idioma

Próximo Artigo
Rovio - Amazing Alex

↪ Rovio afirma que levará jogo Amazing Alex para outras plataformas

Posts Relacionados