O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Para Jean-Louis Gassée, Apple continuará investindo na atual Apple TV e *não* lançará uma TV

Apple TV com apps

As palavras de Tim Cook (CEO da Apple) durante a entrevista exclusiva para a rede NBC estão mesmo dando o que falar. Refrescando a memória: ao ser questionado sobre os futuros planos da Apple, Cook disse: “Quando eu entro em minha sala e ligo a TV, eu sinto como se tivesse ido para trás no tempo, uns 20, 30 anos. É uma área de grande interesse. Eu não posso dizer mais do que isso.”

Publicidade

Se antes os rumores sobre uma possível televisão da Apple já eram grandes, agora então… Mas Jean-Louis Gassée, ex-chefe de desenvolvimento de produto da Apple e hoje sócio da Allegis Capital, resolveu dar a sua opinião sobre o assunto.

Diferentemente de muitos, ele *não* acredita numa TV da Maçã. Para ele, as palavras de Cook são as mesmas de antes. A única mudança é que a sala de estar passou de “hobby” para uma área de “grande interesse”. E só. Ele concorda com Cook e mostra alguns exemplos de como a TV é uma coisa de 20, 30 anos atrás: ainda não é possível consumir conteúdo à la carte, fazer buscas na grade de programação, não podemos comprar o nosso próprio set-top box — temos que alugar de provedores de conteúdo (NET, SKY, GVT, etc.) —, entre outras coisas.

Apple TV com apps

A solução de Gassée é simples e especulada há muito tempo, até mesmo por ele: apps. Quer ver um determinado show, série, canal? Basta baixar/comprar um app. Tecnologia e banda para isso existe, não há dúvida. Então, qual seria o problema? Controle! Com uma loja de apps para TVs, a Apple cortaria possíveis intermediários, assim como fez na App Store, na iTunes Store e na iBookstore, o que é o pesadelo de algumas empresas que se apoiam no modelo tradicional e ainda vigente.

Publicidade

Outro ponto que pega para Gassée:

Para realizar o sonho, como discutido anteriormente, você precisa colocar um computador — algo como um módulo de TV da Apple — dentro do conjunto [TV]. Dezoito meses mais tarde, como manda a Lei de Moore, o computador ficará obsoleto, mas a tela estará boa. Não tem problema, você vai dizer, basta fazer um módulo removível para o computador, facilmente substituído por um novo, mais receita para a Apple… e você está de volta ao arranjo do set-top box separado, de hoje. Como ele, você pode espalhar caixas para todas as HDTVs e não apenas para o conjunto hipotético da marca Apple.

Ele reforça que, se os astros ajudarem e uma luz brilhante cair em cima dos atuais detentores de conteúdo, a TV do futuro será a Apple TV de hoje com mais poder e recursos; uma caixinha preta que pode ser acoplada a qualquer HDTV.

Publicidade

Gassée acha que Cook está “jogando para a torcida”, quem sabe até mesmo fazendo barulho para provocar a concorrência (Google e Microsoft). Ou, então, deixando claro que os problemas existem, que não foram resolvidos e que a Apple continuará pesquisando, buscando (“uma área de grande interesse”) a melhor forma para resolver essas equações.

A verdade é que, hoje, a Apple TV representa menos de 0,5% do faturamento da companhia. Para ele, o set-top box da Maçã não existe para gerar lucro, mas sim para desempenhar um papel parecido com o da iTunes Store: solidificar o ecossistema para que produtos como iPods touch, iPads e iPhones — e Macs — vendam cada vez mais.

Gassée não acha que de um dia para o outro a Apple lançará uma TV capaz de gerar, em um ano, US$50 bilhões (20% do faturamento do empresa em 2014), como acredita o analista Gene Munster, defensor ferrenho da ideia de uma TV da Apple há muito tempo. Ele acha que o caminho da Apple TV é o lançamento de uma App Store, com as vendas aumentando de pouco em pouco. Com o tempo, os refinamentos do ecossistema e mais algumas melhorias, uma provedora de conteúdo vai topar embarcar nessa com a Apple e, aí, o jogo muda.

Publicidade

E aí, concordam? Eu assino embaixo!

[via The Loop]

Ver comentários do post

Artigo Anterior
Ícone - Audiobus

Audiobus interliga aplicativos musicais e cria uma nova forma de compor canções em iGadgets

Próximo Artigo
iPad e crianças

FTC avisa que aplicativos para crianças ainda coletam muitas informações sem alertar os pais

Posts Relacionados