O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

iFixit desmonta o iPad mini com tela Retina; confira os detalhes internos do aparelho

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Mantendo sua tradição, a iFixit já conseguiu colocar as mãos num iPad mini de segunda geração — eles começaram a ser vendidos ontem em diversos países — e desmontou o aparelho, nos mostrando todas as novidades internas.

Publicidade

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Vale notar que o iPad mini de segunda geração — que conta com uma tela Retina, processador A7 (de 64 bits), coprocessador M7, 1GB de RAM, iSight de 5 megapixels, Wi-Fi 802.11n/MIMO, capacidades de 16/32/64/128GB, entre outros recursos — é muito parecido com o iPad Air, o qual já foi desmontado pela iFixit.

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Para abrir o iPad mini, a firma de reparos encontrou a mesma dificuldade de sempre: cola pra tudo que é lado.

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

A primeira peça a sair foi a tão aguardada tela Retina.

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Se antes o “escudo” do LCD tinha 16 parafusos, agora a Apple passou a utilizar apenas 7.

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

O display da unidade aberta é fabricado pela LG e alimentado pelo driver Parade DP675, bem similar ao encontrado no iPad Air (DP655).

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

O controlador touchscreen da Broadcom (BCM5976), utilizado no iPhone 5s e no iPad Air, também está presente no mini.

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

A bateria teve que sofrer mudanças para dar conta da nova tela Retina. Agora, o aparelho tem uma 3,75V, 24,3Whr e 6.471mAh, bem maior que a encontrada em iPads mini de primeira geração (3,78V, 16,9Whr e 4.400mAh).

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Está aí, também, a explicação para os 0,3mm de espessura a mais da segunda geração do tablet. Ainda assim, a bateria do mini de segunda geração dura o mesmíssimo tempo do de primeira geração (até 10 horas de navegação via Wi-Fi).

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Como sempre, muito adesivo para deixar tudo no lugar.

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Acima, as câmeras frontal (FaceTime; 1,2 megapixel) e traseira (iSight; 5 megapixels).

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

A entrada de áudio (fones de ouvido) é a mesma do Air.

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Detalhe para o design da dupla antena.

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

O espaço em branco existe pois estamos falando de um modelo Wi-Fi. Ali, no caso, entraria o chip encontrado em versões Wi-Fi + Cellular do tablet. Destacado em vermelho vemos o módulo Wi-Fi USI 339S0213, o mesmo do Air.

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Eis o cérebro do iPad mini de segunda geração. Nesta placa temos o A7 (APL0698, o mesmo do iPhone 5s), LPDDR3 DRAM (F8164A1PD) de 1GB da Elpida, coprocessador M7 (NXP LPC18A1), 16GB NAND flash da Toshiba (THGBX2G7B2JLA01), acelerômetro/giroscópio B334, da STMicro MEMS, entre outros chips para que tudo funcione perfeitamente.

Aqui, o vídeo mostrando todo o processo:

Devido à enorme semelhança com o iPad Air, dá até para imaginar a nota de reparabilidade do mini de segunda geração, não é mesmo?

Desmontagem do iPad mini de segunda geração - iFixit

Acertou quem respondeu 2/10. Para mais detalhes/curiosidades dessa empreitada, não deixe de visitar o site da iFixit.

Ver comentários do post

Artigo Anterior
iPhone 5s com a bandeira do Brasil

↪ Má notícia: preços dos iPhones 5s e 5c no Brasil podem ser ainda maiores do que esperávamos

Próximo Artigo
Dólares

Apple estaria investindo pesado em novas máquinas e processos de produção

Posts Relacionados