Apple Brasil explica o porquê dos aumentos repentinos nos preços de Macs e iPods [atualizado]

Real

Nesta semana, nós noticiamos os aumentos nos preços de Macs e de iPods.

Publicidade

Real

Real, via Shutterstock.

Pois hoje o MacMagazine obteve agora o posicionamento oficial que a Apple Brasil está dando para consumidores sobre o assunto:

Publicidade

Alguns produtos da Apple vendidos no Brasil são fabricados localmente e os outros são importados. Aqueles que importamos, incluindo o iPhone 5s, estão sujeitos a impostos de importação. É por isso que os preços do iPhone 5s no Brasil são mais elevados do que os do iPhone 5c e do iPhone 4s, por exemplo.

O preço da maioria dos produtos Mac subiu recentemente em virtude de um aumento de 50% na alíquota de ICMS cobrado pelo Estado de São Paulo. Tal aumento entrou em vigor no dia 1º de abril. Nós trabalhamos duro para oferecer aos nossos clientes brasileiros os melhores preços em todos os produtos da Apple, mas o aumento do ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços] esta semana fez esse aumento no preço ser inevitável.

Conforme alguns leitores cogitaram nos comentários, a culpa foi mesmo — mais uma vez — dos impostos brasileiros — ainda que as margens de lucro da Apple sejam altas, mas isso não é uma particularidade de iProducts comercializados apenas no Brasil.

Atualização, por Kauê Henrique · 03/04/2014 às 17:07

No dia 20 de dezembro de 2013, o Governo do Estado de São Paulo aprovou a Resolução SF nº 89, que alterou a Resolução 31/2008 (de 30 de junho de 2008). Nela estão discriminados — em um anexo único denominado “Relação de Produtos da Indústria de Processamento Eletrônico de Dados”, no inciso V do art. 54 do RICMS — todas as matérias primas de produtos eletrônicos que estão sujeitas à alíquota de 12% no ICMS. Com essa alteração de dezembro, diversos produtos foram inseridos na tabela, o que afetou diretamente a circulação de mercadorias da Apple que contam com essas matérias primas.

Publicidade

A alteração só se deu agora, no começo de abril de 2014, por conta do princípio da anterioridade que prevê um prazo mínimo para uma lei entrar em vigor.

[dica do Arthur Fonseca]

Posts relacionados