O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple - Música

Empresa afirma que 52% das pessoas que testaram estão no Apple Music; Apple rebate e fala em 79%

Será que o Apple Music está fazendo sucesso? Até o momento o que sabíamos era que 11 milhões de pessoas estão testando o serviço musical — agora muito provavelmente mais, afinal esse número é do começo do mês.

Publicidade

Mas convenhamos que isso é uma informação um tanto genérica. Será que essas pessoas estão mesmo utilizando/gostando do serviço? Isso não é algo fácil de se descobrir, ainda assim a MusicWatch (uma empresa que fornece serviços de pesquisas e análises de consumo de músicas para a indústria de entretenimento) realizou uma pesquisa para tentar entender melhor esse cenário.

Eis os destaques:

  • 77% dos usuários americanos de iGadgets conhecem o Apple Music.
  • 11% afirmaram que estão usando o serviço.
  • Entre os que testaram o serviço, 48% informaram que não estão usando mais.
  • 28% dos assinantes do Spotify Premium também estão usando o Apple Music1.
  • Apenas 11% dos usuários da versão gratuita do Spotify estão no Apple Music.
  • Entre os usuários do Pandora, o número cai para 6%.
  • 40% dos usuários de iGadgets ainda estão comprando músicas na iTunes Store.
  • Cerca de 1/3 dos usuários do Apple Music se sentiram encorajados a comprar mais músicas/álbuns online.
  • 64% dos atuais usuários do Apple Music disseram que eles muito provavelmente vão pagar pelo serviço após o período de testes.
  • Por outro lado, 61% afirmaram que já desligaram a opção de renovação automática em suas configurações.
  • O recurso mais popular no Apple Music é a aba “Músicas” (“My Music”), a qual permite que os ouvintes gerenciem suas músicas e criem playlists.
  • A rádio Beats 1 está sendo usada por 30% dos usuários.
  • Já a rede social Connect está sendo utilizada por 27% dos assinantes.

A informação que mais chama atenção é, sim dúvida, a de que 48% das pessoas que testaram o serviço desistiram e não estão mais usando. Ou seja, de todo o universo de pessoas que utilizaram o Apple Music, apenas 52% continuaram usando. Isso seria bem alarmante.

Publicidade

Mas não podemos falar na pesquisa em si sem mencionar a metodologia utilizada pela MusicWatch. A amostragem até que foi boa (5.000 pessoas), mas eles pecaram bastante por realizar a pesquisa apenas com usuários americanos. Ora, o Apple Music foi lançado em 100 países, muitos deles com uma cultura e consumo bem diferentes dos EUA. Em alguns países o preço do serviço (como no Brasil e na Índia) é bem inferior ao americano; em outros, não há nem mesmo a concorrência do Spotify — muito menos do Pandora, que só está disponível nos EUA.

É claro que esses dados devem ser levados em consideração, mas não podemos tirar isso como verdade absoluta de maneira nenhuma. A prova é que a própria Apple tratou de negar esses números.

Em contato com o The Verge, a Maçã informou que 79% das pessoas que assinaram o Apple Music ainda estão usando o serviço — um número bem superior aos 52% informados pela pesquisa.

Publicidade

Ainda assim, o que a Apple considera “usar o serviço”? Seria entrar no aplicativo Música minimamente uma vez por semana? Ou seria não ter desligado a opção de renovação automática da assinatura? São perguntas que só a empresa poderia responder, mas que dificilmente irá.

Ainda que 79% seja um numero bem melhor do que os 52%, temos que levar em conta que, diferentemente do Spotify, do Rdio e de outros serviços de streaming, o Apple Music está instalado nativamente em iPads, iPhones e iPods touch de milhões de pessoas (basta estar utilizando minimamente o iOS 8.4 para ter o serviço disponível). Independentemente se esses 79% são os 11 milhões que a Apple divulgou ou se estamos falando de 8,6 milhões de usuários (79% de 11 milhões), eu diria que os números estão bem abaixo do que a Apple imaginou ou gostaria de estar vendo agora.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
OS X Yosemite

Novas falhas no OS X Yosemite permitem escalação de privilégios em atualização recente

Próximo Artigo
Teste com a carcaça do “iPhone 6s”

Adeus, #bendgate; teste com suposta carcaça do “iPhone 6s” mostra que aparelho será muito mais resistente

Posts Relacionados