O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Contra a maré dos navegadores minimalistas, Vivaldi chega à sua versão 1.0 mirando usuários avançados

Pense um pouco na história recente da computação e depois olhe à sua volta: é inevitável chegar à conclusão de que os softwares em geral vêm surfando uma onda de simplificação e tendência ao minimalismo, influenciada pela linguagem dos dispositivos móveis. A própria Apple tem se mostrado adepta disso, com alguns resultados positivos, outros nem tanto e alguns tiros no pé.

Publicidade

No campo dos navegadores, não é diferente: os principais browsers atuais (Safari, Edge, Chrome, Firefox) resumem-se a uma janela para a web, com uma interface pouco intrusiva e mínimos recursos. Mas e os power users, carentes de opções mais elaboradas, como ficam?

Tela de abertura do Vivaldi

É mirando principalmente este público que foi liberada hoje a primeira versão estável (1.0) do Vivaldi. Fundado pelo co-criador e ex-CEO da Opera, Jon von Tetzchner, o novo browser se diferencia da concorrência por oferecer uma miríade de opções de personalização, gestos, atalhos, interface, organização e o que mais ocorrer. Tetzchner mostra-se confiante em afirmar que, após mais de um ano de desenvolvimento, o produto finalmente está num nível de estabilidade e recursos suficiente para lançamento em versão final.

Publicidade

Por ser baseado no Chromium, o browser experimental de código aberto do Google que também serve de base para o Chrome, o Vivaldi é compatível com todas as extensões criadas para o ubíquo navegador da gigante de Mountain View. Não que você vá precisar delas: a equipe de desenvolvimento do Vivaldi deixa bem claro que sua intenção principal é que o usuário tenha nativamente todos os recursos que possa precisar, sem a necessidade de recorrer a extensões. Entre os muitos deles, estão a adaptação visual ao site exibido, a possibilidade de empilhar abas e visualizar algumas delas simultaneamente, anotações e funções múltiplas num painel lateral e ajustes profundos de aparência e atalhos de teclado/mouse. Tem também um recurso de “comandos rápidos” com um visual chupado muito parecido com o do Spotlight. Outros recursos prometidos na fase de testes, como um cliente de email integrado, ficarão para as próximas versões — afirmam os desenvolvedores.

Comandos Rápidos no Vivaldi
Tela do Vivaldi mostrando o recurso dos Comandos Rápidos

Confira um vídeo que apresenta o projeto:

Publicidade

À primeira vista, o Vivaldi pode parecer amedrontador para usuários acostumados com a simplicidade dos navegadores mais “mainstream”, com sua interface carregada e recursos avançados, porém, como afirma o próprio slogan do aplicativo, ele “não é para todos, é para você”. Ou seja, se você simpatizou com a ideia, é porque provavelmente vai gostar dele. Se este for o caso, o Vivaldi 1.0 está disponível imediatamente para OS X (10.7 ou superior), Windows e Linux.

[via TechCrunch]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Retrato de Tim Cook (foto do Robert F. Kennedy Human Rights)

Tim Cook agora faz parte do conselho da organização Robert F. Kennedy Human Rights

Próximo Artigo
DoBox

DoBox promete ser o dock mais completo para dispositivos iOS que você já viu

Posts Relacionados