Apple é processada por supostas infrações em tecnologias de bateria, no AirPlay e no recurso de discagem automática [atualizado 5x]

A Apple continua sendo uma protagonista e tanto no mundo judicial, seja em batalhas “épicas” contra gigantes como Samsung, Nokia e Qualcomm, ou em casos bem menores e que até mesmo envolvem patent trolls — afinal, essas empresas especializadas em tentar ganhar dinheiro processando outras devem estar de olhos bem abertos na fortuna que a Maçã tem em caixa.

Publicidade

A aproveitadora firma sem nenhum produto criado de hoje que está em busca de compensações financeiras processando a Apple é a Uniloc.

Patent troll

Ela afirma que a companhia de Tim Cook está supostamente infringindo três inventos:

Publicidade
  • Patente 6.661.203: trata-se de um “sistema de carregamento e descarga de baterias otimizado para ambientes de alta temperatura” (uma invenção da HP que foi registrada em 2001). Ela detalha um método pelo qual um sensor de temperatura é usado para monitorar o calor da bateria durante eventos de carga e descarga. A corrente é posteriormente limitada para evitar superaquecimento e prolongar a vida útil da bateria.
  • Patente 6.580.422: esta abrange técnicas para “exibição remota do computador usando gráficos primitivos enviados através de uma ligação sem fio (também inventada pela HP, em 1995). O invento detalha métodos de envio de comandos gráficos para uma tela de computador remota usando sinais sem fio.
  • Patente 7.092.671: a última cobre um “método e sistema para sintonização automática sem fio de um número de telefone a partir de um registo armazenado num dispositivo de informação pessoal”, inventada pela 3Com Corporation em 2000 e adquirida pela HP em 2010. A patente detalha métodos de recordar e de marcar automaticamente um número de telefone de uma lista dos contatos.

Essa, contudo, não é a primeira vez que a Uniloc processa a Apple. Segundo o AppleInsider, estamos falando da terceira tentativa dela de arrancar algum dinheiro da Maçã. Em 2016, a Uniloc processou (no mesmíssimo tribunal no Texas, que normalmente costuma ser favorável a essas patent trolls) a Apple alegando que infração de três patentes com serviços como Maps, ID Apple e atualizações remotas de software. Também em 2016 (no meio do ano), a Uniloc alegou que serviço Mensagens infringe quatro patentes relacionadas a sistemas de mensagens de voz instantâneas facilitadas por protocolos VoIP.

A Apple, é claro, não é a única que está na mira da Uniloc. Ele vem sistematicamente, ao longo da última década, processando gigantes como Activision Blizzard, Aspyr, Electronic Arts, McAfee, Microsoft, Rackspace, SEGA, Sony, Symantec e muitas outras. Enquanto não houver uma reforma no sistema de patentes, infelizmente essa será a realidade para algumas empresas.

Atualização 04/06/2017 às 00:24

Não satisfeita, a Uniloc resolveu processar a Apple por mais duas supostas infrações:

Publicidade
  • Patente 8.872.646: esta cobre um “método e sistema para acordar um dispositivo em movimento”, foi originalmente solicitada em 2008 e concebida à DP Technologies em 2014. Como você pode imaginar, o invento cobre técnicas de despertar um dispositivo do modo de suspensão quando os acelerômetros e/ou outros sensores de movimento indicam algum tipo de movimentação grande.
  • Patente 7.690.556: esta segunda cobre um “contador de passos que leva em conta a inclinação”, abrangendo métodos de integração de sensores de movimento com algoritmos projetados para levar em conta as inclinações de terrenos que podem afetar a queima calórica.

As duas alegações de infração miram o Apple Watch — veremos o desfecho dessa história…

via AppleInsider

Atualização II 03/07/2017 às 10:25

Ela simplesmente não para! A Uniloc voltou a processar a Apple, alegando agora que a Maçã violou mais três patentes relacionadas a rastreamento de movimento (tecnologias aplicáveis não apenas a dispositivos de fitness, como o Apple Watch, mas ao iPhone e ao iPad).

Publicidade

As patentes em questão são as de número 7.653.508, 8.712.723 e 7.881.902, e cobrem basicamente “dispositivos de monitoramento de atividade humana” (com algumas diferenças/avanços de um invento para o outro).

A patent troll argumentou ainda que a Apple é culpada pela venda e distribuição de aplicativos de terceiros que também estariam utilizando os inventos citados, como Runtastic, Nike+ Run Club e Strava Running.

via AppleInsider

Atualização III 13/07/2017 às 10:43

Acredite se quiser: a Uniloc atacou novamente e está processando a Apple por supostamente infringir mais três patentes da empresa com os recursos AirPlay e Continuidade.

  • Patente 6.622.018: esta cobre um “console de controle de dispositivo portátil com conexão sem fio”. Concedida em 2003, o invento detalha o controle de dispositivos remotos através de protocolos sem fio, incluindo Wi-Fi e Bluetooth.
  • Patente 6.161.134 e 6.446.127: as duas cobrem respectivamente “método, aparelho e sistema de comunicação para informações complementares e dispositivos de rede” e “sistema e método para fornecer serviços de mobilidade para usuários em uma rede de telefonia”, e detalham métodos de transmissão de dados de um computador para um telefone, além da troca de mensagens de voz e de dados de um telefone para outros dispositivos em uma determinada rede.

Pelo visto, a patent troll quer atirar para todos os lados e ver se acerta alguma coisa…

via AppleInsider

Atualização IV 03/08/2017 às 10:43

Lá vamos nós de novo! A bola da vez é o app Apple TV Remote para iOS que, segundo a Uniloc, infringe a patente 6.216.158 (“Sistema e método usando um computador de tamanho da palma da mão para controlar dispositivos de rede”).


Desculpe, app não encontrado.

Segundo a empresa, a Apple infringe o invento ao empregar métodos de controle remoto semelhantes no seu app para iOS, o qual conta com uma interface parecida com o controle físico da set-top box (touchpad e botões programáveis dedicados para reprodução/pausa, Siri e mais).

Essa aí pelo jeito só vai parar quando conseguir alguma coisa…

via AppleInsider

Atualização V 23/10/2017 às 11:55

E a Uniloc está de volta, desta vez focada no monitoramento de exercícios do Apple Watch.

A patent troll abriu mais um processo no Texas (local que normalmente julga processos assim a favor dessas empresas) alegando que a Maçã violou a patente 6.736.759, que cobre um “sistema e métodos de monitoramento do exercício” da Paragon Solutions (que depois passou para a Red Dragon Innovations e, posteriormente, para a Uniloc). O invento descreve basicamente uma solução de monitoramento da saúde envolvendo um monitor fisiológico com capacidades de localização GPS e um monitor.

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…