O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple TV

Apple investirá US$1 bilhão em conteúdo original de vídeo em 2018; ex-presidente da WGN America é contratado

As evidências de que a Apple quer competir com Netflix, Amazon e outras plataformas de streaming de vídeo estão aí: lançamento de reality shows originais, contratação de especialistas no ramo televisivo… só não vê quem não quer!

Publicidade

Ou melhor, só não vê quem não assina o Apple Music, que é a plataforma pela qual a Maçã está disponibilizando todo esse conteúdo em vídeo — pelo menos por enquanto. Não existe confirmação se haverá uma plataforma própria para isso daqui a um tempo, mas conforme contou o Wall Street Journal, a Apple pretende gastar cerca de US$1 bilhão em conteúdo original em vídeo no ano que vem.

De acordo com a matéria, esse valor será investido tanto na procura quanto na produção de conteúdo. A quantia é basicamente metade do que o HBO gastou em produção no ano passado e por volta do mesmo investimento feito pela Amazon em 2013, quando esta decidiu entrar no ramo de conteúdo original.

Com toda essa grana, é esperado que a Apple lance dez novas séries que, em concordância com os desejos de Eddy Cue (seu vice-presidente sênior de serviços e softwares para internet), tenham qualidade semelhante à de “Game of Thrones”, grande sucesso da HBO.

Publicidade

Mas para quem acha que o número investido será grande, não tem ideia de quanto se demanda para a criação de um só episódio. Por exemplo, um episódio de uma série de comédia custa cerca de US$2 milhões; um de drama precisa de mais de US$5 milhões por episódio e uma à la “GoT” chega a custar US$10 milhões por episódio!

Os grandes responsáveis por cumprir essa tarefa serão os veteranos da Sony — recém-contratados pela Maçã em junho —, Jamie Erlicht e Zack Van Amburg. Tomando a frente das operações de produção de conteúdo original, os dois já estão em contato com profissionais de Hollywood, à procura de novas séries.

Apple contrata ex-presidente da WGN America

Matt Cherniss

Como parte de seus trabalhos, Erlicht e Amburg também já fizeram questão de contratar mais um grande nome para integrar sua equipe: Matt Cherniss, ex-presidente da WGN America — assim como contou a Variety (e foi reforçado pelo WSJ).

Publicidade

Cherniss já trabalhou com os executivos e, juntos, conseguiram levar séries da Sony como “Underground”, “Outsiders”, entre outras, para a WGN. Além disso, ele também já trabalhou na produção executiva de alguns filmes na Warner Bros.

A investida já mostra que a Maçã não está para brincadeira e quer mesmo integrar esse time de empresas cujas séries originais estão na boca do povo. Entretanto, o WSJ citou que a Apple precisará tomar cuidado para não comprometer os generosos 15% que recebe a partir de assinaturas diretamente da App Store para serviços como Netflix e HBO NOW. E, peculiarmente, eles também afirmaram que a Maçã deseja, com essa iniciativa, aumentar os aluguéis e as compras de filmes na iTunes, que vêm caindo bastante desde 2012.

Publicidade

Por enquanto, tirando os ótimos documentários ligados a música que o Apple Music tem apresentado, os reality shows não estão tão badalados quanto a empresa gostaria. De qualquer modo, se virmos aparecer conteúdos tão bons quanto os que a Netflix anda trazendo, certamente a Maçã terá mais uma coisa para se gabar. #NaTorcida

via 9to5Mac

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Site do Apple ID

Apple conquista quatro estrelas (em cinco possíveis) em pesquisa de segurança de senhas da Dashlane

Próximo Artigo
Fyuel

Compartilhe e consulte os melhores preços de combustíveis para o seu carro com o app Fyuel

Posts Relacionados