O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Senha sendo digitada num iPhone

Perito do FBI chama engenheiros da Apple de “babacas” e “gênios do mal” por continuarem aprimorando a segurança do iPhone

A eterna disputa entre a Apple e o FBI não é uma que deve ser levada na brincadeira — existem argumentos convincentes e sólidos dos dois lados, tanto o que defende a segurança e o direito à privacidade do consumidor acima de qualquer coisa (como diz a Apple) como o que afirma que, em alguns casos, é necessário quebrar essa proteção para que crimes sejam solucionados e investigações possam prosseguir (como defende o FBI).

Publicidade

Agora, entretanto, um perito do órgão de inteligência americano pegou um pouco pesado demais. De acordo com o Motherboard, o especialista em segurança forense do FBI Stephen Flatley não foi nem um pouco amistoso com as iniciativas de segurança da Apple numa conferência internacional de ciber-segurança realizada na quarta-feira passada (10/1). Nas palavras de Flatley, os engenheiros da Maçã são “babacas” e “gênios do mal” por tornarem o seu trabalho e o dos seus colegas mais difícil.

Até que ponto eles estão somente tentando tornar as coisas mais seguras e não tentando prejudicar o cumprimento da lei?

Como exemplo, o perito trouxe uma novidade implementada recentemente pela Apple que torna o processo de decifrar uma senha por força bruta muito mais lento. A Apple recentemente aumentou o número de mudanças de hash de 10.000 para 10.000.000, fazendo com que a taxa de senhas tentadas diminuísse de 45 por segundo para uma a cada 18 segundos. “Seu tempo para crackear o dispositivo saltou de dois dias para dois meses”, disse Flatley.

Publicidade

O especialista continuou, perguntando “até que ponto eles estão somente tentando tornar as coisas mais seguras e não tentando prejudicar o cumprimento da lei?” Nas palavras dele, “a Apple é muito boa nessas coisas de gênios do mal”.

Por fim, Flatley ainda elogiou a Cellebrite, empresa israelense de extração de dados que é o braço direito do FBI no desbloqueio à força de iPhones — foi ela que auxiliou o órgão no desbloqueio do iPhone 5c do atirador de San Bernardino, no caso que representou o estopim do conflito da Apple com os agentes da lei.

As declarações do perito não são, de forma alguma, uma exceção dentro do FBI: no início dessa semana, o diretor da agência, Christopher Wray, já tinha classificado a criptografia dos smartphones como um “problema de segurança pública urgente”. Ou seja: muita água ainda vai rolar nesse rio até que o impasse chegue a uma solução (será que isso vai acontecer algum dia). Opiniões?

via Cult of Mac

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Pôster do filme "Quatro Vidas de um Cachorro"

Filme da semana: alugue "Quatro Vidas de um Cachorro", com Dennis Quaid, por R$9,90! [atualizado: R$11,90]

Próximo Artigo
App Saúde (Health), do iOS 8

Dados do app Saúde são usados como evidência em julgamento de homicídio pela primeira vez

Posts Relacionados