O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

MacBook, iPhone, Apple Watch e AirPods numa mesa branca

Será que a Apple deveria criar um serviço de assinatura englobando iPhones, iPads, Macs e serviços? Um analista diz que sim

O que você acha de pagar uma quantia mensal e, além de ser assinante do Apple Music, do iCloud e de todos os outros serviços da Apple, trocar de iPhone todo ano, de iPad a cada dois anos e de Mac a cada três — sem gastar um centavo extra para isso? Dependendo dos valores cobrados, soa promissor, não? Pois é exatamente esse modelo de negócios que o analista Horace Dediu opina que a Maçã deveria considerar nesta reportagem do Wall Street Journal1.

Publicidade

De acordo com Dediu, a implementação de um serviço de assinatura que englobasse dispositivos e serviços — apelidado por ele de “Apple Prime” — seria benéfica para a empresa por uma razão muito simples: a venda de produtos sofre com a ação do tempo, com lançamentos trazendo grandes volumes de vendas (e dinheiro) e dispositivos com a atualização próxima encalhando nas prateleiras e secando a fonte de dinheiro.

Uma assinatura desse tipo, por sua vez, transformaria essa montanha-russa financeira numa suave e plana estrada alemã, com o dinheiro entrando regularmente e previsivelmente todos os meses no cofrinho da Maçã. Adicionalmente, o modelo poderia incentivar os consumidores a atualizarem seus dispositivos com mais frequência e, de quebra, colocá-los de uma vez por toda mergulhados de cabeça no ecossistema da empresa — afinal, a assinatura incluiria todos os serviços que a Apple oferece, do acompanhamento médico do Apple Watch ao futuro serviço de streaming de vídeo da empresa.

Dediu argumenta que a Apple já implementa um embrião da ideia nos (poucos) países que oferecem o iPhone Upgrade Program, um programa de pagamentos mensais que permite ao usuário trocar de iPhone todo ano e já vem com o AppleCare+ embutido — o “Apple Prime” seria uma expansão drástica dessa ideia, em todos os sentidos.

Publicidade

Outro argumento importante lançado por Dediu tem a ver com o HomePod — ora, se o mais novo produto da Apple só funciona no topo das suas capacidades se o usuário tiver uma assinatura do Apple Music, por que não chutar o balde de uma vez e criar um sistema em que o cliente apenas pague uma quantia mensal e possa desfrutar de tudo sem ter que se preocupar com nada?

A ideia, claro, também tem suas desvantagens: uma vez dentro do programa, seria muito difícil ter uma autonomia sobre quais produtos e serviços lhe interessam ou não, e a cerca da Maçã se formaria ao redor da sua pessoa. Em outras palavras, você estaria vendendo a sua alma à Apple — com a diferença que é você quem estaria gastando dinheiro.

O que vocês acham? Seriam assinantes de um possível “Apple Prime” ou preferem continuar no modelo atual? Deixem suas opiniões logo abaixo.

via AppleInsider

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
iPads Pro

Apple continua reinando sozinha no mercado de tablets, mas a concorrência está se fortalecendo

Próximo Artigo
Amazfit Bip

Amazfit Bip é um smartwatch bem parecido com o Apple Watch, mas cuja bateria pode durar até 4 meses!

Posts Relacionados