Mesmo bem menor que o Spotify, Apple Music teve o dobro de reproduções na estreia do novo álbum de The Weeknd [atualizado: ou não?]

O Spotify é o rei das plataformas de streaming, sem dúvidas — basta ver que o serviço sueco tem mais de 120 milhões de usuários (entre planos pagos e gratuitos) contra cerca de 40 milhões do seu rival mais próximo, o Apple Music. Mas o competidor da Maçã tem suas cartas na manga, como mostrou essa reportagem do The Verge.

Publicidade

Segundo a matéria, o lançamento do novo álbum de The Weeknd, “My Dear Melancholy”, atraiu mais usuários à plataforma musical da Apple do que ao Spotify: as faixas foram reproduzidas mais de 26 milhões de vezes no Apple Music nas suas primeiras 24 horas de disponibilidade, e o single principal, “Call Out My Name”, teve mais de 6 milhões de reproduções — contra cerca de 3 milhões no tocador verdinho. As informações são da gravadora Republic Records.

"My Dear Melancholy", novo disco de The Weeknd
Capa de “My Dear Melancholy”

Levem em consideração que, além de ser naturalmente maior, o Spotify lançou com exclusividade dois videoclipes do novo álbum e o próprio The Weeknd postou um vídeo nas suas redes sociais indicando que os fãs ouvissem o disco na plataforma; ainda assim, o Apple Music saiu por cima da carne seca na ocasião.

Por que, exatamente? Ninguém sabe, mas o fato é que casos parecidos já tinham acontecido anteriormente, com o primeiro dia de disponibilidade dos álbuns “More Life”, de Drake, e do single “Rockstar”, de Post Malone. Analisando os pontos em comum dos artistas e estilos musicais mencionados, podemos concluir que a Apple está fazendo um ótimo trabalho com uma parcela específica do público: a que aprecia trabalhos de hip-hop, R&B e soul — basta ver, aliás, que boa parte do conteúdo original produzido pelo Apple Music é dedicado a esses gêneros.

Publicidade

Agora, o desafio da Maçã é ampliar esse apelo aos outros estilos, “tribos” e grupos — só assim o Apple Music poderá ser atraente a todos e competir de igual para igual com o Spotify em termos de número de assinantes.

Atualização do Apple Music no Android

Ícone - Apple Music para Android

Falando em Apple Music, o aplicativo da plataforma para Android acaba de receber uma boa atualização para colocá-lo em pé de igualdade com as novidades recebidas pelos usuários do iOS na versão 11.3 do sistema.

Publicidade

Com a versão 2.4.2 do app, os assinantes do serviço terão acesso à nova experiência de vídeos musicais e videoclipes, com uma tela exclusivamente dedicada ao conteúdo visual mais popular nos últimos dias e várias playlists de vídeo exclusivas, com conteúdo especial.

O Apple Music para Android pode ser baixado gratuitamente no Google Play.

Atualização, por Priscila Klopper 05/04/2018 às 09:10

Ora, ora, parece que alguém não ficou satisfeito com a notícia de perder para o Apple Music em algo. É claro, estou falando do Spotify; depois dessa notícia sobre seus números de reproduções do álbum do The Weeknd terem sido menores do que no serviço de streaming da Maçã, um representante contou ao The Verge que não foi exatamente assim:

Publicidade

O EP “My Dear Melancholy” de The Weeknd recebeu cerca de 29 milhões de reproduções do Spotify nas primeiras 24 horas de lançamento, enquanto o single “Call Out My Name” recebeu 7,5 milhões de reproduções nas primeiras 24 horas de lançamento. Esses números não incluem números dos dois vídeos para músicas do EP que só podem ser encontrados no Spotify.

Com esses números, essa história toda faz muito mais sentido, já que, como falamos, o Spotify tem alguns muitos milhões de assinantes a mais que o Apple Music. E é aí que o calo aperta para o verdinho: a própria gravadora de The Weeknd, a Republic Records, afirmou que os dados que têm são que a música mais tocada do álbum tem 6,5 milhões de reproduções, 1 milhão a menos do que foi divulgado pelo serviço.

Seja lá qual foi a verdade, se a própria gravadora tem números diferentes, o Spotify vai precisar tomar muito cuidado, pois a empresa já tem alguns processos em cima dela relacionados a royalties e números de reproduções.

De todo modo, mesmo que de fato o serviço tenha conseguido milhões a mais do que o Apple Music, esse caso acabou sendo prejudicial para a imagem do verdinho, não é?

Posts relacionados

Comentários