O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Vídeo: Apple se recusa a consertar iMac Pro com a tela quebrada

Publicidade

O iMac Pro é lindo e superpoderoso, mas é bastante limitado em termos de upgrades e, obviamente, caro à beça.

Uma curiosidade que surgiu pouco tempo após o seu lançamento é que o plano de garantia AppleCare+ do iMac Pro é o exatamente mesmo do iMac normal e custa, nos Estados Unidos, US$169. A Apple provavelmente não viu necessidade de cobrar mais por isso porque estamos falando de uma máquina desktop, que não corre os mesmos riscos de acidentes como um iPhone, por exemplo.

Até aí, beleza. O que não daria para imaginar é que a empresa simplesmente não tem preparo nenhum para lidar com esses casos excepcionais de iMacs Pro quebrando, como o do vídeo acima relatado pelo pessoal do canal Linus Tech Tips.

Publicidade

Eles quebraram o vidro da tela do iMac Pro (e assumem totalmente a culpa, obviamente) e, como faria qualquer um, levaram o computador à Apple Store mais próxima para o conserto. Após avaliação, a Apple simplesmente se negou a reparar a máquina por nem sequer dispôr de peças para tal.

É evidente que esse tipo de conserto tem que ser pago pelo cliente e imagino que não fosse algo nada barato (até aí, azar deles), mas daí à Apple se negar a consertar… é uma vergonha. Um produto não pode ser posto no mercado com essa falta de preparo para suporte.

A situação me lembra a da minha tecla “S”, igualmente um absurdo a Apple obrigar o cliente a pagar por um conjunto de peças caríssimo (no meu caso, toda a top case do MacBook Pro) para consertar numa única tecla. Nada disso condiz com o elogiadíssimo pós-venda da empresa.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
iPhones SE com borda branca para o destaque Standard

Códigos de alguns iPhones não-lançados surgem em agência regulatória da Eurásia

Próximo Artigo
Roubo de carga (celulares) no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro

Bandidos roubam celulares avaliados em mais de R$5 milhões no Aeroporto do Galeão, incluindo carga da Apple

Posts Relacionados