O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Angela Ahrendts, vice-presidente sênior de varejo da Apple

Angela Ahrendts defende que lojas físicas devem servir um propósito maior do que vender

Conforme já havia sido divulgado em maio passado, a chefona de varejo da Apple, Angela Ahrendts, participou de uma entrevista no festival anual de publicidade Cannes Lions, que acontece esta semana na França.

Publicidade

Como de costume, o bate-papo foi conduzido por outro executivo da Maçã — Tor Myhren, vice-presidente de comunicações e marketing da companhia.

Obrigada à comunidade criativa que se juntou a nós no #CannesLions hoje para saber sobre o #TodayatApple e como nossa experiência de varejo inspira o aprendizado, libera a criatividade e estimula a conexão humana.

Durante a entrevista, Ahrendts comentou como foi ingressar na Apple após um pedido feito pelo CEO da companhia, Tim Cook. Antes de trabalhar para a Maçã, em 2013, a executiva era diretora executiva da Burberry, uma grife britânica de roupas, acessórios de luxo e cosméticos.

Publicidade

Foi engraçado. Eu lutei comigo mesma para não entrar na Apple, porque achava que já tinha o melhor trabalho do planeta e que estávamos indo muito bem. A cultura que construímos e os valores de equipe da Burberry são tão brilhantes. Mas Tim continuava dizendo “confie em mim, confie em mim”.

Acerca das lojas físicas e a experiência do usuário na hora da compra, Ahrendts fez uma análise do que já vem acontecendo com a Apple nos últimos anos e disse que o futuro não é tão negativo para o varejo. De acordo com a executiva, a maioria das compras é, de fato, feita pela internet; no entanto, muitos clientes vão às lojas físicas finalizar e buscar os produtos que compraram online.

Nos próximos cinco anos, 75% das pessoas vão fazer compras online, para visualizar e saber o que desejam comprar. No entanto, 75% dos negócios ainda serão feitos em lojas físicas.

Por causa disso, Ahrendts explicou que “o varejo não está indo embora” ou “morrendo”, mas terá que evoluir com o passar do tempo. A executiva complementou:

Eu acho que o varejo tem que servir a uma finalidade maior do que apenas vender.

Nesse ínterim, a Apple já trabalha para que os ambientes físicos das suas lojas contem com o máximo de conforto e tecnologia. Além de proporcionarem o envolvimento e a interatividade com seus clientes — como as sessões do Today at Apple, realizadas nas lojas da Maçã ao redor do mundo.

Publicidade

Em outro ponto da conversa, Ahrendts disse que a Apple está inserida em um ramo do comércio no qual o ser humano é a prioridade. Ela enfatizou que a companhia pensa os negócios a partir de uma abordagem humana, e que é o trabalho da gigante de Cupertino humanizar as tecnologias. Um exemplo disso são os workshops oferecidos pelo programa Apple Camp, nos quais crianças aprendem como trabalhar artisticamente com a tecnologia, entre outras atividades.

via 9to5Mac

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Tim Cook

Tim Cook cai ainda mais no ranking da Glassdoor de melhores CEOs

Próximo Artigo
Tim Cook dando entrevista

Tim Cook condena separação "desumana" de pais e filhos na fronteira EUA-México [atualizado: Trump assina novo decreto]

Posts Relacionados