O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Bandeira de Taiwan

Código de censura da Apple fazia alguns iPhones travarem

Você pode não saber, mas a Apple — com a ajuda de Patrick Wardle (ex-funcionário da NSA e um proeminente hacker do mundo Apple que fundou a Digita Security) — corrigiu mais um bug no iOS relacionado a um emoji que simplesmente trava aplicativos alheios. A correção veio no iOS 11.4.1, mas a história por trás do problema em si é para lá de curiosa/polêmica e, por isso, merece ser compartilhada.

Publicidade

Conforme contou a WIRED, uma amiga de Wardle disse que a China estava hackeando o seu iPhone e que precisava da ajuda dele. Quando se encontraram, essa amiga mostrou que, ao selecionar a bandeira de Taiwan no teclado de emoji do iOS, o aplicativo utilizado em questão simplesmente fechada/travava. Ou seja, se alguém enviasse a bandeira para o telefone dela, basicamente lhe causava um transtorno.

Wardle investigou o caso e, como disse acima, ajudou a corrigir o problema na última versão do iOS. O curioso é que, como você pode imaginar, a questão não girava em torno da China querendo invadir o telefone da amiga dele, mas sim um bug causado por uma censura incluída nos aparelhos da Maçã a fim de agradar/obedecer um pedido do governo chinês: resumidamente, a Apple incluiu códigos no iOS para que iPhones com a localização ajustada para a China não mostrem o emoji da bandeira de Taiwan — e, como você pode imaginar, havia um bug nesse código.

Bug do emoji da bandeira de Taiwan
GIF via Ars Technica

Em alguns casos extremos, em vez de tratar o emoji como “desaparecido” da biblioteca do aparelho, o sistema operacional considerava-o uma entrada inválida, fazendo com que os dispositivos simplesmente parassem de funcionar (o que hackers chamam de ataque de negação de serviço). Segundo Wardle, o bug tem a ver com a localização do telefone e as configurações de idioma. “De alguma forma, o telefone ficou confuso sobre qual região ou local deveria estar.”

Na página onde descreve os problemas de segurança corrigidos no iOS 11.4.1, a Apple simplesmente descreve tudo como “um problema de negação de serviço solucionado com o manuseio de memória aprimorada” — não há nenhuma menção à censura da bandeira, é claro.

Publicidade

Essa censura está presente no iOS desde 2017. Mudando a região para a China, o emoji simplesmente desaparece; caso alguém lhe envie a bandeira, você recebe basicamente um emoji ausente. Por que isso? Bem, o governo chinês diz que Taiwan é parte da China e que, por isso, não tem um governo independente legítimo.

Publicidade

Quando Apple primeiramente expandiu as bandeiras de emojis no iOS (2015), a bandeira de Taiwan não foi incluída. A Apple adicionou as bandeira restante de países no iOS 9.0 (44 deles), exceto a de Taiwan nas betas. Taiwan foi incluída na versão final do iOS 9.0, mas possivelmente não na China blog.emojipedia.org/ios-9-emoji-changelog/


O teclado de emoji do iOS não mostra a bandeira de Taiwan 🇹🇼 de nenhuma forma se a região estiver ajustada para a China. O caractere é apresentado como ausente (☒) quando visto em sites ou em mensagens em um iPhone chinês emojipedia.org/flag-for-taiwan/

Tal atitude da Apple não é a primeira a fim de satisfazer as vontades do governo chinês. Como já informamos, a empresa recentemente migrou todos os dados de usuários chineses do iCloud para o país por conta de uma decisão do governo local; por lá, a Apple também removeu aplicativos de VPN da App Store (igualmente por conta de uma política local).

Por que essa discussão toda é importante?

Bem, como a própria WIRED falou, o bug em si não foi nenhuma ameaça a segurança. Na verdade, não ficou claro nem se isso afetou um número significativo de dispositivos iOS. O problema, aqui, é sabermos que existe um código colocado no iOS com o intuito de censurar algo a fim de satisfazer a vontade de um governo específico.

Em 2016, por exemplo, acompanhamos uma grande batalha da Apple contra o FBI na qual a Maçã assumiu uma posição forte em relação à privacidade de usuários, se opondo às exigências do seu próprio governo. Na época, a Apple basicamente “bateu na mesa” e disse que não ajudaria o governo americano a espiar usuários de iPhones; por outro lado, a China pediu, e a Apple criou uma censura nos seus dispositivos e não fez questão nenhuma de comentar isso — o que Wardle descreve como uma atitute totalmente hipócrita.

De fato, não há muito com o que discordar dele…

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Affinity Designer para iPad

Software de desenho vetorial Affinity Designer ganha versão para iPad

Próximo Artigo
Classicbot

Conheça o Classicbot e suas as miniaturas inspiradas no Macintosh

Posts Relacionados