Tim Cook e outros CEOs afirmam que política de imigração dos EUA atrapalha seus negócios

Tim Cook e Donald Trump em reunião

Não é novidade para ninguém que o CEO1 da Apple, Tim Cook, defende publicamente uma política de imigração mais simples nos Estados Unidos, se posicionando contra as leis propostas pela administração de Trump. E ele não está nessa sozinho — na realidade, dezenas de CEOs de grandes empresas dos EUA também questionam as constantes mudanças da legislação americana a respeito de imigrantes.

Publicidade

Essa insatisfação foi motivo para a criação de uma carta enviada para a secretária de segurança interna dos EUA, Kirstjen Nielsen, conforme divulgou a Fortune. A carta foi assinada por 60 CEOs — incluindo Cook — de empresas da Business Roundtable (grupo de diretores executivos das principais corporações dos EUA, formado para promover políticas públicas pró-negócios).

No comunicado, os diretores executivos expressaram como as mudanças na política de imigração causam “ansiedade” em milhares de funcionários, culminando em problemas nas operações das empresas. Além disso, afirmaram que muitos colaboradores estão “presos” em um processo de legalização da situação de imigrante que dura mais de uma década, forçando-os a renovar seus vistos temporários de trabalho de forma contínua.

Em nome dos CEOs membros da Business Roundtable, escrevemos para expressar a nossa séria preocupação com as mudanças na política de imigração que estão causando ansiedade considerável em milhares de nossos funcionários, enquanto isso ameaça atrapalhar as operações das empresas.

Ao longo da carta, foram destacadas as dificuldades que algumas pessoas enfrentam na hora de tirar o Green Card, incluindo cancelamentos sem fundamento e atrasos — pelos quais o congresso americano foi considerado culpado. Nesse ínterim, os executivos concordaram que as políticas de imigração do país são inconsistentes, injustas e desestimulam indivíduos talentosos e altamente qualificados a buscarem oportunidades de carreira nos EUA.

Publicidade

Além de Cook, a carta foi assinada pelos diretores executivos de empresas como Verizon, AT&T, Salesforce, Cisco Systems, entre outras. Os CEOs de outras gigantes da tecnologia como Amazon, Google, Facebook e Microsoft não são membros da Business Roundtable e, portanto, não são signatários da carta.

Como dissemos, o CEO da Apple é inflexível quando o assunto é a retirada de direitos de imigrantes. Em setembro passado — após a revogação pelo governo do programa DACA (Deferred Action for Childhood Arrivals, ou Ação Diferida para Chegada de Crianças) —, Cook enviou uma carta aos funcionários da companhia mostrando sua profunda consternação com a situação.

via 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…